Ônibus lotado em Copacabana em 22 de agosto de 2021 - Foto: Reprodução/G1

O forte calor que pairou sobre o Rio de Janeiro no último final de semana levou os cariocas a lotarem as praias da cidade.

No entanto, em tempos de pandemia, essa prática é bastante perigosa, uma vez que expõe as pessoas ao risco de contaminação pelo Coronavírus, mesmo sendo uma atividade ao ar livre.

Paralela – e quase que automaticamente -, a saída da praia também tornou-se um problema. No domingo (22/08), por exemplo, houve flagrantes de ônibus lotados em Copacabana, na Zona Sul, com pessoas viajando penduradas nas janelas e até no teto do veículo, além de relatos de depredação dos articulados.

”Eles entram nos ônibus pela janela e saem pelo teto. Os ônibus já entram na [Avenida] Princesa Isabel lotados. O trânsito fica inviável, pois eles correm para o meio da rua para querer parar o ônibus. O motorista, coitado, fica amedrontado”, disse uma moradora do bairro que presenciou as cenas e que preferiu não se identificar.

Além dos ônibus lotados, há relatos também de tentativas de roubo a lojas da região. ”Sou funcionária de uma pizzaria. Eles passam querendo me roubar e, às vezes, tenho que fechar a porta do estabelecimento”, relatou uma mulher, que também optou por não revelar sua identidade.

O DIÁRIO DO RIO tentou contato com a Polícia Militar para comentar o assunto, mas, até o fechamento desta matéria, não obteve resposta. A reportagem será atualizada tão logo isso aconteça (conferir no final do texto).

Atualização – 23 de agosto de 2021 – 11h39

A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Polícia Militar se manifestou por meio de nota oficial. Confira, na íntegra.

”No último fim de semana, o 1º Comando de Policiamento de Área [CPA] intensificou o policiamento ostensivo na orla da Zona Sul do Rio, inclusive mobilizando apoio de mais de 10 unidades da corporação, sendo realizadas diversas abordagens ao longo do dia para prevenir e coibir possíveis delitos nas praias e demais ruas da região.

Somente nos bairros Copacabana e Leme, mais de 200 policiais foram empregados no patrulhamento nos 2 dias [21 e 22 de agosto], além das equipes do Copacabana Presente. O 19º BPM realizou 4 prisões e 4 apreensões de adolescentes, sendo recuperados 3 aparelhos de celular e duas bicicletas.

Entre o fim da tarde e o início da noite, policiais militares do 19º BPM [Copacabana] faziam patrulhamento pela orla de Copacabana e do Leme e foram deslocados devido a um princípio de tumulto nas proximidades de pontos de ônibus. As equipes reforçaram as rondas na área para controlar a situação.”

4 COMENTÁRIOS

  1. Deveriam montar uma blitz no tunel e expulsar esses ratos logo na entrada, e a população deve dar uma lição em trombadinhas que cometem delitos na praia, dando uma boa surra nos mesmos.

  2. Infelizmente, enquanto o país e, sobretudo, o Rio de Janeiro conviverem com tanta desigualdade social, todo dia de sol em Copacabana será escoadouro de detrito social via 474, 455, 472, 415 e 426, entre outros.

    Não duvido que aquele McDonald’s que será inaugurado na Av. Princesa Isabel sofra bastante com esse público transeunte.

    Todos devem ter o direito de ir e vir, o lazer também é algo importante para qualquer ser humano, mas está claro que parte dessas pessoas não tem o menor traquejo para convivência mínima em sociedade. Onde se falta tudo, não é respeito ao próximo que vai ser abundante, não é mesmo?

  3. Cada CPF ali, não importando a idade, deveria ser responsabilizado em uma quantia para reparar todos os danos do coletivo. E que trabalhassem até que se pagasse a quantia indenizatória. Enquanto dermos margem à esses vândalos chamando desordem urbana de “irreverência do carioca”, teremos espetáculos grotescos como estes aí da reportagem.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui