Segundo os resultados de uma testagem em massa realizada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o estado tem atualmente metade dos seus profissionais de saúde infectados pelo Coronavírus.

A UFRJ, através do seu centro de triagem, tem feito testes em todas as classes de saúde (médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem) da rede pública do Rio de Janeiro – esferas federal, estadual e municipal.

Entre cerca de mil profissionais já testados, na semana de 16 a 20 de março, apenas 6% dos que apresentaram sintomas de gripe estavam com Coronavírus.

Uma semana depois, isto é, de de 23 a 27 de março, o índice aumentou para 18%. Posteriormente, foi para 25% e, hoje, está em 50%.

Com essa subida preocupante no número de infectados, a pesquisa mostra que nas próximas semanas o RJ pode sofrer com a falta de profissionais para atender os pacientes.

“Particularmente nas frentes, nas emergências, nas UTIs. É preocupante o que vem pela frente”, diz Terezinha Castineiras, chefe do Departamento de Doenças Infecciosas da Faculdade de Medicina da UFRJ.

A pesquisadora ressalta que alguns profissionais de saúde foram afastados antes mesmo do avanço do Coronavírus pelo fato de serem pessoas com mais de 60 anos ou que têm outras doenças pré-existentes.

Terezinha diz também que o contágio está mais elevado no Rio de Janeiro do que em outros países que enfrentaram o vírus pois o estado sofre com a falta de equipamentos de proteção.

Ela informa ainda que parte dos hospitais não possuem um protocolo de atendimento e treinamento.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui