O contágio por superfícies contaminadas é possível, mas não é a principal forma de contaminação da COVID-19.
O contágio pelo contacto com superfícies contaminadas é possível, mas não é a principal forma de contaminação da COVID-19. Foto: Live Science

Antes que os fabricantes de álcool gel e desinfetantes infartem, a contaminação pelo novo coronavírus através de superfícies infectadas ainda é considerada “possível” segundo o Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de saúde dos Estados Unidos encarregado de lidar com doenças infecto-contagiosas e problemas de saúde em geral.

Se você está extremamente preocupado em desinfetar com perfeição suas sacolas de mercado ou em descontaminar até o último milímetro dos envelopes que chegam pelo correio, esta informação não vai deixar de causar um pouquinho de alívio.

O novo coronavírus “não se espalha fácil” através do toque em superfícies ou objetos, de acordo com a redação atual sobre as precauções a serem tomadas contra a nova doença no  website do CDC. A mudança na informação foi feita no dia 11 de maio, sem nenhum tipo de anúncio oficial do organismo governamental americano, de acordo com a NBC News e com o The New York Times.

Essa mudança, que foi feita durante a última revisão da redação sobre as precauções, teve, segundo o órgão, a função de “deixar claro outras formas possíveis de contaminação de pessoa a pessoa“, disse a porta-voz do CDC, Kristen Nordlund. Ainda segundo a agência americana, as superfícies não são a “principal forma” de contaminação.

A principal forma de contaminação do vírus é de pessoa para pessoa, muito mais que via superfícies contaminadas. Mas pra falar a verdade, o CDC vinha usando linguagem similar há meses, e a mudança no texto do site do órgão apenas vem deixar mais claro o que os cientistas já vinham frisando há tempos: segundo os estudos, o coronavírus se espalha principalmente de uma pessoa para outra, tipicamente através das gotículas que saem dos espirros, tosses ou mesmo da fala das pessoas infectadas, em distâncias curtas, ainda que esta pessoa não esteja com sintomas da doença.

Continue a tomar os cuidados com a possibilidade de contaminação de superfícies, mas fique mesmo atento ao uso de máscaras e a manter o distanciamento social.

Abaixo, outras matérias que corroboram esta informação, que, definitivamente, não é Fake News.

New York Times

Revista Live Science

ABC News

7 COMENTÁRIOS

  1. Perfeita sua observação Daniel! O interesse na economia é o principal motivo dessa informação. É fundamental continuarmos fazendo a higiene das superfícies sim! Nada de comemorar com essa notícia!

  2. O Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), é um órgão de saúde dos EUA de maior respeito a nível mundial. Os pesquisadores desta instituição são chamados de “Caçadores de Vírus” por dectarem com a maior celeridade aonde ou como as pessoas foram contaminadas. Isto é, eles vão na fonte.

    Mas como o nosso amigo acima falou, é estatal, mais também recebe verbas privadas dos grandes laboratórios farmacêuticos. É confiar e desconfiar ao mesmo tempo, já que o Tio Trump está linchando para a Pandemia.

  3. O interessante é que na página do CDC eles sugerem limpar e desinfetar superfícies tocadas frequentemente diariamente. Se o que este artigo afirma é atribuído ao CDC, por que então eles aconselham a limpar e desinfetar superfícies. Onde está a fonte? Minha fonte está abaixo:

    Clean and disinfect
    Clean AND disinfect frequently touched surfaces daily. This includes tables, doorknobs, light switches, countertops, handles, desks, phones, keyboards, toilets, faucets, and sinks.
    If surfaces are dirty, clean them. Use detergent or soap and water prior to disinfection.
    Then, use a household disinfectant. Most common EPA-registered household disinfectantsexternal icon will work.

    https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/prevent-getting-sick/prevention.html

  4. A notícia traz informação do atribuída ao Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de saúde dos EUA.

    Não é nenhum estudo de organização médica, de pesquisadores, independente.

    Mas, sim, órgão de Governo. Logo, parte interessada na liberação rápida por conta da economia.

    Então, muita cautela nessa hora de replicar informações sem que haja aprofundamento na questão.

    Diário do Rio poderia ser mais crítico no material disponibilizado no site.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui