Na noite desta segunda-feira (23/03), o secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes, anunciou, em transmissão ao vivo pelo Facebook, que as escolas públicas e particulares do Rio de Janeiro seguirão fechadas e sem previsão de retomarem suas atividades – inclusive, isto não deve acontecer antes de 90 dias.

Anteriormente, a tendência era que as aulas recomeçassem no dia 30/04, mas isso não será possível.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Ainda de acordo com Pedro, as escolas particulares que não respeitarem a determinação serão multadas – haverá uma resolução oficial sobre o assunto, ainda a ser divulgada.

O secretário também aproveitou a oportunidade para anunciar que foi acordado um convênio com o Google Classroom, plataforma pertencente ao tradicional site de buscas, para que alunos da rede pública estadual tenham aulas on-line.

Já os colégios particulares que não tiverem sua própria plataforma, também terão apoio da Secretaria para utilizar o serviço.

Outros pontos importantes informados por Pedro Fernandes:

  • Os professores darão as aulas em seus respectivos horários de trabalho tradicionais. A hora-extra do setor educacional, conhecida como Gratificação por Lotação Prioritária (GLP), será mantida;
  • Alunos impossibilitados de acessarem a internet terão reforço escolar depois de retornarem às aulas presenciais; 
  • O assunto “provas/avaliações” será pensado posteriormente;
  • Escolas técnicas, integrais e militares terão as disciplinas básicas de maneira on-line, isto é, agora, e as matérias específicas serão ministradas após o retorno das aulas;
  • Ficará a cargo de cada escola verificar os estudantes que recebem Bolsa-Família para que a Secretaria viabilize perante o Governo Estadual um auxílio em relação à alimentação desses alunos;
  • A princípio, haverá uma tentativa de manter os 200 dias de ano letivo, mesmo havendo permissão da Lei de Diretrizes e Bases (LDB), pertencente à educação nacional, que, diante da situação de pandemia, dure menos tempo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui