Foto: Divulgação/Fiocruz

Nesta segunda-feira (10/08), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, na Zona Norte do Rio, inaugurou uma unidade de apoio que ajudará, a nível nacional, na ampliação do processamento de testagem molecular para detectar o Coronavírus. A cerimônia contou, inclusive, com a participação do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, que classificou o enfrentamento à pandemia como um ”esforço de guerra”.

Vale ressaltar que esta foi a primeira agenda pública de Pazuello desde o último sábado (08/10), dia no qual o Brasil chegou à marca de 100 mil óbitos causados pela Covid-19.

”Não existe, nesse momento, diferenças, partidárias ou ideológica. Todos nós somos brasileiros, combatendo, dia a dia, da melhor forma, nos dedicando para que não haja mais mortos no nosso país. Já perdemos 100 mil brasileiros com nome, identidade e família. E, podem acreditar, nós estamos todos os dias revendo nossos protocolos, procurando o que tem de melhor e alterando aquilo que não vinha dando certo”, disse o ministro interino.

Com capacidade para processar cerca de 15 mil testes de Coronavírus diariamente, a nova unidade de apoio está localizada na própria sede da Fiocruz. Toda sua estrutura e equipamentos foram financiados pelo projeto ”Todos pela Saúde” e seu custeamento ficará a cargo do Ministério da Saúde.

Equipadas com plataformas que utilizam o método de testagem PCR em tempo real, a nova unidade funcionará em tempo integral durante todos os dias da semana. Também haverá um espaço similar no Ceará, que será inaugurado em breve.

Unidade de apoio do Instituto de Biologia Molecular do Paraná; Fiocruz terá espaço similar – Foto: Itamar Crispim/IBMP

A princípio, a unidade da Fiocruz terá, entre biologistas e técnicos de laboratório capacitados, a colaboração de aproximadamente 250 profissionais, que se irão se revezar em 3 turnos de trabalho para analisar as amostras encaminhadas pelo Ministério da Saúde.

”Sabemos o quanto a testagem em massa é importante não apenas do ponto de vista clínico, mas também no que tange a implementação das medidas de controle da pandemia e da dinâmica social. O início da operação dessas novas unidades consolida o esforço da Fiocruz de um lado na produção dos testes e, do outro, no processamento das amostras”, disse Marco Aurélio Krieger, vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui