Centenas de barcos ocuparam a Praia do Dentista no dia 6 de setembro | Foto: Reprodução da Internet

No último fim de semana prolongado (07/09), vinte e três famílias que passaram o feriadão em Mangaratiba tiveram de voltar ao Hotel Portobello por causa do congestionamento no trânsito. O percurso Angra-Rio foi feito em oito horas. Para evitar esse tipo de transtorno, hoteleiros e condomínios da Costa Verde do Estado do Rio (Mangaratiba, Angra dos Reis e Paraty) vão lançar uma promoção inédita a partir do feriadão da padroeira do Brasil (12/10): desconto de 50% na tarifa para os hóspedes que optarem por ficar mais um dia nos hotéis e voltar para casa sem ter de enfrentar longos congestionamentos.

Autor da ideia, Carlos Borges, dono do Portobello e da Pousada Porto Imperial, em Paraty, já conseguiu adesão de hoteleiros, de agências de viagens e da Associação de Condomínios da Costa Verde. Sebastian Buffa, operador de turismo em Paraty, disse que seus clientes demoraram 10 horas para chegar ao Rio no dia 7, sendo que o percurso em dias comuns costuma levar em média 4 horas.

A solução do problema passa pela privatização e duplicação da Rio-Santos, mas esse processo só começará no ano que vem e as obras vão demorar. As pessoas estão nervosas dentro de casa, não podem viajar para o exterior e há dificuldades no transporte aéreo. A Rio-Santos é a única estrada sem pedágio e o problema dos engarrafamentos, que é antigo, vai piorar nos próximos feriadões, no réveillon e no verão”, previu Borges.

Segundo o hoteleiro, foi enorme o número de turistas que voltaram para os hotéis dos três municípios. Os engarrafamentos, segundo ele, não só provocam grande sofrimento nos visitantes como também arranham a imagem do destino turístico. O Presidente da Associação dos Condomínios da Costa Verde, Manoel Francisco de Oliveira, do Porto Frade, aprovou a ideia e está recomendando o desconto simbólico também para os proprietários que alugam casas por temporada. Ele destacou ainda que o home-office e às aulas presenciais suspensas facilitam esse sistema.

Os motoristas sofrem com o afunilamento da pista nos dois túneis de Mangaratiba. Ali ninguém anda na volta para casa até mesmo nos fins de semana comuns. A melhor opção é voltar no dia seguinte. Com o trabalho em home – office e calendário escolar ainda não definido, isso ficou mais fácil”, comentou Manoel Francisco.

Ele acrescentou que a ideia pode ser levada para a Região dos Lagos, que sofre com o mesmo problema dos engarrafamentos nos feriadões, sobretudo no trecho da BR-101 e nas vias estaduais entre a Via Lagos e Cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Proprietário do Hotel Fradíssimo e da Pousada Rio Brachuy, Ivan Zabojnik prevê que a promoção da diária reduzida vai aliviar o impacto na Rio-Santos na volta dos turistas para casa e na hora de os visitantes avaliarem sua estada na Costa Verde. Ele sugere que a Polícia Rodoviária Federal melhore a organização do trânsito nos entroncamentos da Rio-Santos, principalmente em Mangaratiba, para dar maior fluidez ao trânsito.

A estrada não está preparada para tantas pessoas que estavam trancadas em casa. O movimento nos feriadões está muito maior do que nos anos anteriores. E foi possível constatar o aumento substancial do número de jovens entre nossos visitantes. A procura por reservas para o réveillon começou em julho, bem antes do normal”, concluiu o hoteleiro.

4 COMENTÁRIOS

  1. Passo por esse engarrafamento o verao inteiro e TODOS OS FERIADOES, porque trabalho no Hospital em Angra dos Reis! Antes de privatizar para ganhar mais dinheiro deveriam pensar em melhorar a qualidade das estradas, que levam o progresso e a subsistencia para outras cidades.

  2. Daniel, não observou que a idéia é uma medida urgente para o que está acontecendo hoje?
    Tenho imóvel de veraneio naquela área e escuto falar em duplicação desde que a Rio-Santos ficou pronta. Já se passaram mais de 30 anos que criaram o PAM, Plano de Ajuda Mútua, um grupo de autoridades, políticos e empresários discutiam em reuniões mensais com a Eletronuclear e prefeituras, aí além das três citadas mais a de Itaguaí e RJaneiro, um plano de evacuação de emergência em caso de acidente da usina nuclear. Primeiro ponto era a duplicação da rodovia.
    Não deu em nada.

  3. Sempre as mesmas ideias idiotas… privatizar a estrada, ampliar a estrada, colocar tarifa para manutenção…

    A manutenção do transporte rodoviário é caro.
    O cidadão acabará tendo que arcar com mais impostos.
    As consequências de um país que prioriza a abertura de vias e o transporte rodoviário com baixo grau de desenvolvimento, alta desigualdades, criminalidade, falta de acessos aos direitos básicos, ausência de política de ocupação do solo, enfim… tudo vai atrair ali a especulação imobiliária, ocupações irregulares, comunidades à beira da estrada, botecos, prostituição, drogas, mais áreas para o tráfico e milícia etc.

    Por que não incentiva a criação de linha de transporte marítimo?
    Ou expansão ferroviária?

    • Excelente e responsável comentário, veja o que aconteceu com o BRT, na época pessoas como vc e eu, já reclamavam que não daria certo, pois esse modelo é caro e poluidor ao quadrado, mas, o interesse (corrupção), falou mais alto. Trem, VLT e barcas, são as melhores soluções, mas……….

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui