Paciente utilizando capacete Elmo para tratar a Covid-19 - Foto: Lucas Silva

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, sancionou, nesta quinta-feira (15/04), uma lei que autoriza o uso de capacete Elmo no tratamento de pacientes em hospitais de campanha e em todas as unidades da rede estadual. O equipamento, vale ressaltar, é um mecanismo de respiração artificial que pode reduzir em até 60% a necessidade de intubação em leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs).

”Essa lei traz esperança para as famílias que vivem a aflição de parentes lutando pela vida nos hospitais. É com os avanços da ciência, vacinação em massa e consciência coletiva que venceremos essa guerra contra a Covid-19”, diz o deputado Anderson Alexandre (Solidariedade), autor da proposta.

A tecnologia, criada e produzida por pesquisadores do Ceará, tem aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Além do referido estado nordestino, o capacete Elmo vem sendo utilizado também em Manaus, capital do Amazonas.

Trata-se de um mecanismo de respiração artificial não invasivo, pode ser aplicado em pacientes considerados de baixa e média complexidade. Com isso, além de desafogar os leitos de UTI, evita efeitos decorrentes da intubação, como a sedação por longo tempo e o uso de medicamentos que prolongam o período de recuperação dos pacientes.

De acordo com a lei 9204/2021, a utilização do capacete ficará a critério e avaliação do profissional de saúde responsável pelo paciente. A publicação no Diário Oficial, também ocorrida nesta quinta, diz ainda que o Poder Executivo regulamentará a norma no que couber.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui