alunos do Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA), na Zona Norte do Rio, convivem com aglomerações — Foto: Reprodução G1

Uma investigação conduzida pelo o Ministério Público Federal (MPF) apura denúncias de de aglomerações e de descumprimento as regras sanitárias de prevenção a Covid-19 em uma base da Marinha no Rio de Janeiro.

Em relatos feitos ao portal G1, militares do Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA), unidade da Marinha responsável pela formação de cabos e sargentos, disseram que o quartel tem constantemente desrespeitado as medidas de proteção contra a proliferação da Covid-19.

A Marinha nega e diz que segue medidas de distanciamento social e todos os protocolos clínicos e terapêuticos divulgados pela Organização Mundial de Saúde.

Os militares, porém, afirmam que os alojamentos sempre estão lotados, cenário que propicia a propagação do vírus. O uso de máscara de proteção também não é respeitado, e praticamente não existe distanciamento em atividades feitas ao ar livre, dizem os testemunhos.

As aglomerações acontecem em todos os espaços: alojamento, banheiros, refeitório, sala de aula, tanto nos cursos de sargento como de cabo. O alojamento é um corredor onde ficam 25 pessoas trocando de roupa. Banheiro também fica lotado depois das práticas de treinamento. É bizarro“, disse um militar que não quis se identificar.

De acordo com um dos militares, não há aferição de temperatura na entrada, não é oferecido álcool em gel para os alunos e reclamações são contidas com ameaça de punição.

Os números do último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde no sábado (10/04), mostram que o Rio de Janeiro contabiliza 39.298 mortes e 679 mil casos do Coronavírus.

“Desde janeiro a Marinha não parou e continua negligenciando a saúde pública do brasileiro. Agem dessa forma, colocando em risco de vida os militares e seus familiares.”

A Marinha informou também que “vem realizando o revezamento no regresso dos alunos dos cursos ministrados naquele estabelecimento de ensino”.

A instituição militar disse ainda que todos os alunos realizaram teste de Covid no início do ano letivo.

“Aqueles militares com suspeita de exposição ao novo coronavírus ou com quaisquer sinais da doença realizam novos testes e, caso haja a confirmação da contaminação, são tratados conforme as orientações do Ministério da Saúde.”

Os números do último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde no sábado (10/04), mostram que o Rio de Janeiro contabiliza 39.298 mortes e 679 mil casos do Coronavírus.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui