Divulgação: Prefeitura

Da noite de terça-feira (16/02) até a madrugada desta quarta-feira de cinzas (17/02) teve vários palcos, onde o espetáculo grotesco do desrespeito pela própria vida e pela vida alheia foi encenado. Em vários pontos da cidade, a famosa saideira de Carnaval foi festejada, com bebedeira, aglomerações, mãos sujas, e não uso de máscaras de proteção. As transgressões foram regionalmente democráticas, ocorreram em vários bairros da cidade: Leblon e Copacabana, na Zona Sul; Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Cidade de Deus, na Zona Oeste, na Lapa, no Centro da cidade; e na Vila Isabel, na Zona Norte.

As famosas ruas Olegário Maciel, na Barra da Tijuca e Dias Ferreira, no Leblon, points de badalação e de infrações das normas sanitárias contra a Covid-19, ficaram lotadas de pessoas aglomeradas e de carros trafegando pelas vias, chegando a gerar engarrafamentos.

No Anil, na Zona Oeste, 2 dois estabelecimentos foram interditados por falta de documentação, sendo que um deles havia programado um baile infantil de carnaval. Segundo a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), no momento da fiscalização, não foram constatadas aglomerações.

Os comboios de fiscalização da força-tarefa formada pela Seop, Guarda Municipal, Instituto de Vigilância Sanitária, e Polícia Militar, também tiveram muito trabalho nesta terça-feira (16/02), quando percorreram pontos da Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes. Durante as operações, foram feitas 3 interdições, realizados nove autos de infração: 4 na Barra, 2 no Anil e 3 no Vidigal. Na fiscalização do comércio ambulante, a Coordenadoria de Controle Urbano (CCU), subordinada à Seop, apreendeu 14 bebidas em garrafas de vidro, cinco botijões de gás e duas moendas de caldo de cana nas orlas das Zonas Sul e Oeste.

De acordo com a PM, para este feriado prolongado, 14 mil policiais militares e duas mil viaturas em todo o estado, foram desviados das suas atribuições normais para atuar em ações conjuntas com a Prefeitura para o cumprimento das regras sanitárias contra a Covid-19. Ainda de acordo com a corporação, ela adotou um planejamento dinâmico, com reforço de patrulhamento nas áreas centrais da cidade e na orla.

O Show do Vidigal

Nesse Carnaval, o grande show de desrespeito foi dado por uma casa noturna no morro do Vidigal, na Zona Sul da cidade, onde era impossível ver um espeço sequer vazio de tão lotada que estava. As Imagens aéreas foram feitas pela “TV Globo” por volta das 7h30.

Ainda no festivo Vidigal, um bar clandestino e dois estabelecimentos foram interditados pela Prefeitura. A Secretaria Municipal de Ordem Pública, com apoio da UPP Vidigal, interditou, nesta terça-feira, o estabelecimento o Alto Vidigal Bar e o Lounge, que segundo a pasta, não tinha documentação. A ausência de responsáveis impossibilitou a lavratura de autos de infração.

O Bar da Laje e o Hotel Brisa Mirante, no Mirante do Arvrão, também foram autuados por falta de licenciamento, sendo que o primeiro foi autuado por ter pessoas fumando em seu interior. As multas chegaram ao valor de R$ 10.624,28.

Aglomerações no Carnaval

Desde sexta-feira foram contabilizadas 83 inspeções sanitárias, com 30 interdições e 63 infrações em estabelecimentos por aglomeração e descumprimento dos protocolos sanitários contra a Covid-19, além da falta de licenciamento, segundo a Secretaria Municipal de Ordem Pública. Durante as ações, a Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização também registrou 59 vistorias, com 24 notificações, entre autuações e interdições administrativas: falta de alvará e excesso de mesas e cadeiras.

No mesmo período, mais de 100 ambulantes também foram fiscalizados, tendo 19 deles sido multados. Foram apreendidos ainda 964 itens, principalmente bebidas em garrafas de vidro. Os órgão públicos municipais apreenderam ao todo 5 mil unidades de bebidas, a maioria alcoólica. Foram apreendidos também 35 equipamentos de som

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui