Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, os leitos para Covid-19 do Rio de Janeiro tem ocupação de 94,2% na UTI e de 84,9% nas enfermarias. Para tornar os dados sobre a ocupação mais claros, sejam para coronavírus ou não, a secretaria disponibiliza um site que aponta quantidade de leitos livres, ocupados, cedidos ou impedidos.

A secretaria alerta ainda que os dados de leitos impedidos, também disponíveis no site, podem causar confusão. Por exemplo, nesta sexta-feira (15/01), quando se pesquisa o número de vagas no Hospital Ronaldo Gazolla, encontram-se zero leitos livres. Entretanto, segundo a secretaria, os leitos marcados como “cedidos” e “reservados” também estão vagos. A diferença é que parte deles estão cedidos para a regulação estadual e alguns estão reservados para transferências ou para pacientes de enfermaria que venham a precisar de UTI.

O secretário de saúde do Rio, Daniel Soranz, contou ao DIÁRIO DO RIO que atualmente o Rio tem a menor fila para leitos desde o início da pandemia. Nesta sexta-feira, são 9 pacientes aguardando há mais de 24 horas e 27 pacientes na fila há menos de 24 horas.

Ele destacou ainda, sobre o site, que é possível ver o prazo para a abertura dos leitos impedidos e o motivo pelo qual não está disponível. Em entrevista, ele reforçou que muitos leitos não estão ativos devido à falta de médicos, mas disse que a secretaria já está trabalhando para que haja a liberação.

O DIÁRIO DO RIO realizou uma entrevista com Daniel Soranz, na qual o secretário abordou as medidas de combate ao coronavírus e os planos para a saúde no Rio de Janeiro. Confira:



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui