Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

O prefeito Eduardo Paes (DEM) fez uma publicação em suas redes sociais afirmando que houve um aumento de 16% nos atendimentos nas redes de urgência e emergência da cidade relacionados a Covid-19. Ele destaca que os números estavam caindo, estabilizaram e, agora, voltam a subir.

Na publicação, ele explica que esse número não tem a ver com internações ou óbitos, e sim procura por atendimento. Entretanto, ele ressalta que trata-se de uma variável super importante, pois é para essas unidades que as pessoas se dirigem com os primeiros sintomas.

Segundo ele, fica claro que há um aumento de pessoas com os sintomas. A rede municipal segue com vagas e sem fila de espera. Porém, para evitar o colapso, é preciso tomar as medidas de prevenção.

Não é caso de fechar tudo, mas sim de restringir algumas aglomerações. Aqui decisões são tomadas com base em dados. Não no que eu acho ou penso. Claro, se soma a esse dado o que está acontecendo em outros lugares no Brasil e a circulação de novas variantes“, publicou Paes.

Medidas de prevenção

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) conseguiu no fim da tarde desta sexta-feira (05/03), uma liminar na 15ª Vara de Fazenda Pública do Rio que suspende o decreto do prefeito do Rio, Eduardo Paes, que restringia horário de funcionamento de bares e restaurantes, que iriam até 17h. A Justiça concordou com os argumentos da associação e ampliou o horário para as 20h.

Paes estabeleceu medidas para combater o avanço da Covid-19 na cidade após reunião com especialistas realizada na quarta-feira. Segundo decreto publicado ontem, desde às 17h de hoje, bares e restaurantes estão impedidos de abrir os seus salões, enquanto a permanência de pessoas em vias públicas é vedada entre 23h e 5h.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui