Foto: Agência O Globo

O Conselho Regional de Medicina (Cremerj) abriu uma sindicância para apurar o caso de um médico que foi preso após ameaçar um paciente com uma arma em uma clínica, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, na tarde de quinta-feira (29/07). O procedimento, segundo o conselho, é sigiloso, e segue as normas do Código de Processo Ético Profissional. Em nota o conselho ressalta:  “O Cremerj reitera que é, veementemente, contrário a qualquer tipo de violência e que a boa prática da Medicina depende do bom relacionamento entre médico e paciente”.

Segundo o paciente, o médico pneumologista Enio Pires Studart, sacou uma arma durante uma discussão. De acordo com a Polícia Civil, a vítima relatou que marcou uma consulta após ser infectada com o coronavírus e continuar passando mal após dois meses. Durante a consulta, o médico teria questionado a qualidade do teste, o que teria gerado a confusão. Enio , então, teria pego uma mochila e sacado uma pistola para ameaçar o paciente.

Na 16ª DP (Barra da Tijuca) foi constatado que o pneumologista possuía um revólver, uma pistola, um soco inglês, duas facas, um carregador de pistola e munições dentro do carro. Ele foi autuado pela prática dos crimes de ameaça e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

2 COMENTÁRIOS

  1. Difícil fazer julgamento sem conhecer os fatos. Esse médico, que tem excelentes avaliações, para chegar ao ponto de sacar uma arma contra um paciente, será que não foi ameaçado também? Só as investigações vai mostrar o que realmente ocorreu.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui