Dias Perfeitos é um romance escrito pelo carioca Raphael Montes e lançado no ano de 2014 pela Companhia das Letras.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.


O personagem principal, Téo, tem 22 anos e é estudante de medicina.
Solitário, mora com a mãe em Copacabana. Sua personalidade singular fica
clara logo no início do livro, quando descobrimos que sua única amiga é
Gertrudes, o cadáver que ele e sua turma dissecam nas aulas de anatomia da
faculdade.


Num churrasco, ele conhece Clarice. Dois anos mais velha que Téo, ela
é simpática e tem personalidade marcante. Estudante de História da Arte,
sonha ser roteirista de cinema. Eles conversam e Clarice se despede com um
selinho. Téo fica encantado com o jeito da menina e faz de tudo para encontrá-
la novamente.

À medida que o tempo passa, ele fica cada vez mais obcecado por
Clarice. Percebendo que sua paixão não é correspondida, num momento de
desespero, resolve que só há uma maneira de resolver essa situação:
sequestrar Clarice e fazê-la entender que eles nasceram um para o outro.

“Ela o havia beijado naquele churrasco. Por que parar? Do beijo, furtado
e furtivo, ele havia se tornado refém. Não era o invasor, mas o invadido; não
queria só desvendar, mas ser desvendado. Ele amava Clarice, admitiu.
Precisava ser amado.”

Este é um romance que eu sempre recomendo para quem me diz que
não lê porque não consegue se concentrar. É difícil largar este livro, porque ele
desperta o tempo todo a curiosidade sobre o que vai acontecer em seguida e,
principalmente, sobre o desfecho da história. É tensão e ansiedade do início ao
fim, mas que em alguns momentos faz rir da lógica excêntrica de Téo. E faz
também pensar no quanto a mente humana pode ser perigosa e traiçoeira. Téo
comete as maiores crueldades (em alguns momentos ele carrega Clarice
dentro de uma mala), mas sempre com a calma e a paz na consciência de quem tem a certeza de que está apenas fazendo o que deve ser feito. Seus
atos mais insanos têm sempre uma justificativa lógica. Ele faz tudo com a
melhor das intenções e acha uma tremenda injustiça que Clarice não
reconheça isso.

Dizer que o final de um romance policial é surpreendente é o básico,
mas sobre o final de Dias Perfeitos eu diria mais: é inquietante.
Raphael Montes já é um dos grandes nomes da literatura
contemporânea brasileira. Seus outros livros também são muito bons, com
destaque para o último, um thriller psicológico lançado em 2019: Uma mulher
no escuro. Procurem no Google entrevistas com o autor. É divertido assisti-lo
falando sobre seu gosto por escrever romances policiais desde que era bem
novo – e sobre a preocupação de sua mãe com essa preferência.

_ Nota: 4/5 _
Livro: Dias Perfeitos
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 280

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui