Todos nós sonhamos com uma casa “fora”. Um lugar para relaxar, um churrasquinho, uma feijoada com os amigos, uma fondue, uma sopinha na noite fria. Agora, imagina que você quer dar uma pausa, alta gastronomia sem frescura, bons ingredientes, temperos tirados da própria horta, carnes escolhidas, aquela pizza no forno de lenha, queijos, uma carta de vinho na medida… E tudo isso cercado por uma paisagem linda, aquele austral de lojinhas de delicadezas em volta. Um programaço. Pois é, e tudo isso e mais também que está no Nas Videira, o restaurante, localizado no próprio Vale, em Araras

Um restaurante com a visão do forno da pizza, as fotos maravilhosas dos donos, madeiras, um lugar para chegar e ir ficando. O restaurante foi aberto com 4 sócios, dois fotógrafos, um advogado e o Zé Alvarenga diretor, hoje estão Alexandre Salgado – o tal autor das fotos – e o Zé. O princípio, que começou há 6 anos era ter um restaurante melhor. Comida boa para encontrar amigos, conversa leve, correr todos os assuntos e ficar comendo, tomando um drinque, um vinho e variando.

Começamos com a focaccia da casa com a massa macia e a casca crocante que com o azeite e o Dry Martini deu uma combinação certa. Aí vieram as croquetes de pato e cordeiro com as proteínas bem desfiadas, levemente cobertas de farinha de rosca só para não desmanchar, fritas no ponto certo. E não resistimos à polenta cremosa, do jeito certinho, sem qualquer bola, suave, com gorgonzola derretido, com cogumelos e ovo poché. E tivemos o crudo de salmão, tamanho do corte como deve ser e com um diferencial de mistura de sabores ótimo: uva verde e chips de baroa. ponto certo.

A proposta de ser um italiano ma no tropo permite que se saia da pasta com molho. O macarrão, feito lá, vira o acompanhamento, no cozimento ao ponto de ser um E ai a massa vira o colchão certo para paleta de cordeiro no forno a lenha, que assa por igual e não cora, com o nhoque de batata que não é purê de batata cortado, é batata com a farinha só para dar liga e a fondata de pecorino. Combinação que mistura certinho. Depois o confit de pato com frutas vermelhos e musselina de baroa (eles como nós adooooram baroa). E resolvemos exagerar: a rabada sem qualquer gordura que vira um super molho para o papardelle. E o risoto do camarão enoooooorme…

Era almoção mesmo, por isso não tentamos nem a pizza e nem a boa ideia do hambúrguer com pão com massa de pizza. Mas conferimos o serviço: uma turma ótima no atendimento do Maître Jorge, do Barmen e Garçon João – Dry Martini dos melhores e a doce, educada, presente Ana Júlia que nos atendeu de um jeito que nos sentimos as senhoras donas do baile.

E para terminar provamos o cuscuz de tapioca, o sorvete de manga diet do Momo e o coulis de pimenta dedo de moça (vocês sabem que é só tirar a semente que sai a picância exagerada).

Ir no Nas Videiras vale o passeio, atravessar a serra, passar por Araras, observar a natureza abundante da Mata Atlântica, sentir o friozinho, a cerração de desce, mas que o conjunto da obra nos faz sentir vivos, respirar profundamente e voltar para casa pensando naquilo que vai repetir e nas novidades que vai experimentar.

Serviço:
Estr. Alm. Paulo Meira, nº 8400 – Vale das Videiras, Araras
(24) 2225-8162??

Nota
Atendimento
Custo Benefício
Qualidade
Ambiente
Jornalista, publicitária, professora universitária de Comunicação, Doutora em Literatura, Bacharel em Direito, gestora cultural e de marcas. Mãe do João e do Chico, avó da Rosa e do Nuno. Com os olhos e os ouvidos sempre ligados no mundo e um nariz arrebitado que não abaixa por nada.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui