Crítica: Vizinho Gastrobar, o melhor drink do Rio

Crítica: Vizinho Gastrobar, o melhor drink do Rio

10 de maio de 2018 0 Por Quintino Gomes Freire
Compartilhe

Vinho? Cerveja Artesanal? Nada, quem é “cool” agora gosta é de tomar um drink bem feito. Leia bem, BEM FEITO, fazer um drink não é só misturar os ingredientes, é preciso saber o que está fazendo. E, detalhe, o drink excelente, assim como um bom prato, demora para ficar pronto, não é feito em escala industrial. E é por isso que nos últimos anos vemos surgindo pela cidade os “Gastrobares”, locais especializados em drinks e, até o momento, nenhum supera o Vizinho Gastrobar, no Vogue SquareBarra.

Jéssica Sanchez

Capitaneado pela simpaticíssima e competentíssima Jessica Sanchez, com menos de 30 anos, a mixologista já é cheia de prêmios como Melhor Bartender Rio de Janeiro pelo World Class 2013; Melhor Bartender Brasil 2013 pelo Cocktail Journey Diageo; Melhor Bartender do Brasil pela Grey Goose Vive la Revolucion 2013; Melhor bartender América do Sul pela Bols Around the World 2014; Top 10 bartenders no Mundo pela Bols Around the World 2014; entre outros. Além de ter comandado o Meza Bar e os drinks do Copacabana Palace. Além de assinar cartas de drinks por toda a cidade.

Voltando a falar do Vizinho, o ambiente do bar é ótimo, primeiro o fato de ser quase um aquário, como pode-se ver na foto acima, fica bem no meio da “Praça” do shopping, circundado por uma academia e pelos excelentes restaurantes do local. Uma decoração simples, aconchegante e que não dá vontade de sair do bar. O projeto da arquiteta Paula Neder destaca o balcão como o cenário principal do bar, cercado por bancos altos que acomodam os clientes em posições privilegiadas para ver de perto o trabalho da bartender. Os azulejos do Coletivo Muda instalados na única parede do bar confere uma atmosfera mais descontraída para casa, que funciona sob iluminação baixa.

O atendimento também é um primor, especialmente em uma cidade conhecida pelo péssimo serviço como o Rio de Janeiro. Jéssica treinou todos os atendentes, que para quem acompanhar o Instagram do Vizinho, já deve ter reparado, eles se divertem. É claro que os drinks demoram, se for sua primeira vez em uma casa de excelência do tipo pode estranhar, mas como disse no início, um bom drink demanda tempo para ser feito, um excelente então.

Bem, por falar em drinks… o Vizinho produz um dos melhores do Rio de Janeiro, bem, ao menos figura fácil em qualquer Top 5, especialmente se você prefere os mais cítricos, refrescantes como uma cidade quente como o Rio pede. O segredo de Jéssica é, além de seus estudos e uma certa dose do que só posso chamar de magia, a procura incessante pela qualidade dos produtos. quem conhece um pouco sobre o trabalho da Jessica sabe que sua mente inquieta nos leva a testar uma combinação exclusiva de sabores, texturas e aromasQuem vier ao Vizinho verá algo diferente do que já desenvolvi para as outras casas. A começar pela troca com o cliente no balcão. Minha produção é artesanal, do gelo aos xaropes, geleias, tudo é feito aqui.”, conta.

 

Isso é bem claro no “Acabou a Espuma” (Vodka, Xarope de Chiclete, Solução Cítrica e Óleo Essencial da Casca do Siciliano), era de se esperar um drink impossivelmente doce, mas não, o xarope, criação de Jéssica, com a combinação dos outros ingredientes deixa um sabor que se você pede outro, outro, outro…

Acabou a Espuma, Foto: Vitor Faria

Mas a minha preferência é para o cítrico, então sempre peço o Aperol Sunseto mais vendido no bar, uma releitura do Aperol Spritz com Cordial de Tangerina, Vodka, Soda Artesanal de Gengibre e Espuma de Siciliano. Ele faz parte da seção Sunset Session que apresenta coquetéis frutados e cítricos onde a mixologista explora ingredientes pouco usados na coquetelaria, como o Chartreuse (licor francês à base de plantas aromáticas) e a Melissa (planta medicinal com sabor levemente doce).

Já quem prefere drinks gelados, o capítulo Ice, Ice Babe! apresenta a versão frozen, como calor do Rio pede, de coquetéis complexos. São opções como o T.I.P Babe, releitura do Pennicilin, um clássico da coquetelaria moderna criado pelo australiano Sam Ross e servido por Jessica bem geladinho; o Beach, please! mistura o chá mate com o limão, dupla queridinha nas areias cariocas; e o Frose, drinque com vinho rosé orgânico, outra aposta da Jessica para o clima tropical da cidade.

Um grande amigo paulista, quando vem ao Rio sempre nos encontramos no Vizinho, e ele é um mixologista amador e prefere a seção  Coquetéis do Vizinho, drinques que surgiram do improviso no bar e ganharam espaço fixo no cardápio. São opções como o The happiest guy, um fat wash de manteiga noisette em rum envelhecido, óleo Saccharum de Grapefruit e ácido cítrico, e o Into The Wild, Cachaça Leblon Signature Merlet com infusão de banana da Terra, Catuaba Artesanal e Mel Fermentado com Gengibre

Beach, Please

.A extensa e criativa carta segue com Os Antiquados Piram!, uma sequência de coquetéis que há anos dão expediente atrás dos balcões pelo mundo, como o Brandy Crustacriado em 1850, uma combinação de Brandy, Licor de Laranja Sanguínea, Luxardo Maraschino e Angostura Bitters. Aindacompletam a carta coquetéis sem álcool e uma compilação de doses (50ml) de destilados, gin, tequila 100% Agave, rum, brandy, Amaro e whiskey, além de um enxuto menu de vinhos.

Outra dica, sempre realizada nas melhores casas do gênero, é falar o que você prefere em um drink e eles montam um especialmente para você. Quem sabe se ficar tinindo não pode entrar para a carta deles? É assim que surgem as melhores bebidas.

Sanduíche de Pastrami do Curadoria

Quanto a comida, eles não tem cozinha, o ideal é passar lá, beber um pouco e comer nos excelentes restaurantes do Vogue Square, como o Chez Heaven. Mas se preferir comer lá, no cardápio há da parceria com o Produtos Doc, a sugestão de tábua de queijos e embutidos; do vizinho Chez Heaven, veio o hambúrguer artesanal. Para petiscar, um tartar de salmão, o carpaccio de carne, um ceviche de peixe branco, o sanduíche de pastrami da A Curadoria, e outras sugestões pensadas pela bartender para harmonizar bem com seus drinques.

Quando ao preço? Não é caríssimo, especialmente levando em conta a qualidade dos ingredientes. Mas se estiver apertado, de terça à sexta, o Vizinho tem Happy Hour das 15h às 21h, por R$ 15.

Diretor de mídias sociais na Agência B5, palestrante, publicitário, Defensor do Carioca Way of Life e Embaixador do Rio. Começou o Diário do Rio em 2007 e está a frente dele até hoje o levando ser um dos principais portais sobre o Rio de Janeiro.


Compartilhe