Aparentemente o bispo Marcelo Crivella (Republicanos) continua confundindo a Coisa Pública com a Coisa Privada e, novamente, indo contra o Princípio da Impessoalidade na Gestão Pública. É que a atuação da administração deve ser impessoal, ou seja, sem favorecer os agentes ou perseguir adversários, é o que diz o Art 37 da Constituição Federal. E isso é improbidade administrativa.

O atentado a tal princípio já tinha acontecido no site da Prefeitura do Rio, em uma manchete que dizia “Crivella leva Cuidar da Cidade à Ilha do Governador“. Em outros momentos usou o site e as redes sociais da Prefeitura do Rio para atacar as Organizações Globo, ou seja, perseguir adversários. Isso já gerou uma Ação Popular, e um inquérito criminal, civil e de investigação judicial eleitoral (propaganda eleitoral antecipada) contra Crivella movido pelo deputado federal Pedro Paulo (DEM).

Pois nesta quarta-feira, 16/10, a capa do Diário Oficial do Munícipio divulga ação de conservação da cidade que está sendo feita pela Prefeitura do Rio. Isso pode, o que não pode é ter na matéria aspas de um cidadão dizendo “O Crivella realmente não ficou só nas promessas, como administração anteriores e ainda veio conversar conosco“.

Isso é claramente o Diário Oficial fazendo propaganda do prefeito e ainda criticando os anteriores. Não pode. É improbidade administrativa, campanha antecipada e uso da máquina.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui