Na noite desta segunda-feira, 12/10, o Ministro Mauro Campbell Marques, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aceitou ação da defesa do prefeito Marcelo Crivella pedindo que a condenação de inelegibilidade por 8 anos para o atual prefeito do Rio seja suspensa. Com isso, a candidatura de Crivella volta a cumprir exigências da Lei da Ficha Limpa.

“Estou tão feliz! No fundo eu senti que o TRE-RJ resolveu pegar o prefeito como exemplo. Não pode ter bagunça. Há dois anos eu fui a uma reunião do meu filho, com 50 pessoas, que já foi investigada pela CPI da Câmara, e fui inocentado, mas tinha me dado uma inegibilidade. Uma medida pesada, dura, duríssima, só por ir a uma reunião. Meu filho perdeu a eleição. Qual o abuso de poder político se o candidato perdeu? Então não prova, não tem gravidade, não tem escala”, disse Crivella.

Crivella se tornou inelegível por abuso de poder político e conduta vedada por usar veículos e funcionários da Comlurb, companhia de coleta de lixo do Rio, para promover um evento de campanha de seu filho Marcelo Hodge Crivella, que tentava se eleger deputado federal, e Alessandro Costa, que concorreu a deputado estadual, em julho de 2018.

N último dia, 24/09, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) decidiu, por unanimidade, tornar Marcelo Crivella (Republicanos) inelegível até 20206.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui