Marcelo Crivella
Tomaz Silva/Agência Brasil

Em entrevista a jornalistas na tarde desta quinta-feira (26/03), o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, sugeriu ao Ministro da Economia, Paulo Guedes, a liberação do FGTS para alguns setores. Crivela deu como exemplo, artistas e motoristas de transporte por aplicativos.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

A liberação do benefício, segundo o prefeito, é para evitar medidas drásticas no que se refere a questão do isolamento social da população em função da pandemia do Coronavírus.

Eles têm uma poupança, o fundo de garantia por tempo de serviço. É deles. Não é justo liberar? Acho que é. Liberando, podemos aumentar o prazo de nosso isolamento social. Com mais tranquilidade, tomarmos as decisões da retomada gradual das atividades”, recomendou.

Na manhã desta quinta-feira (26/03), o governador Wilson Witzel revelou que, caso o Governo Federal não dê um horizonte ao Rio de Janeiro em relação à Economia até a próxima segunda (30/03), terá que rever as medidas de prevenção no combate ao Coronavírus.

“Acho (a reabertura segunda) prematura. Os próximos 15 dias têm que ser de absoluto, sagrado, religioso isolamento. É o que tenho ouvido de professores, infectologistas, minha secretária de saúde, diretores de hospital. Os próximos 15 dias é todo mundo em casa”, explicou Crivella.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui