Foto: Reprodução Internet

“Sei que o seu relógio está sempre lhe acenando, mas não buzine que eu estou paquerando”, canta Tom Zé na música Não buzine que estou paquerando. Na canção, o sábio cantor e compositor baiano se refere à cidade de São Paulo, contudo, cabe no nosso Rio de Janeiro de flertes e alardes.

Basta o trânsito parar um pouco que o carioca já começa a buzinar desenfreadamente. Segura essa mão, meu irmão. Apertar a buzina agora não vai transformar o carro em um helicóptero que sai voando por aí, beijando o céu da Cidade (ainda) Maravilhosa.

Só pra ficar ligado: buzinar sem necessidade é uma infração de trânsito. É considerada leve, com multa e três pontos na carteira. Buzinar só é permitido com um toque breve, para alertar sobre um possível acidente.

São quase 3 milhões de motoristas no Rio e cerca de 1% é multado anualmente por conta das buzinadas. Haja dor de cabeça – e de ouvido.

Falando nisso, a exposição contínua a níveis tão altos de ruídos traz consequências à saúde, como a perda da audição de forma gradativa. Além do estresse esse mal que nos grita aos ouvidos todos os dias nas grandes cidades.

Lanço aqui a campanha: não buzine! E se estiver em um lugar bonito da cidade, use a música de Tom Zé e paquere o Rio. O engarrafamento passa num piscar de olhos.

A título de conhecimento, o Diário do Rio publicou o manual da buzina. Confira:

Carros:
1 toque forte = Seu fdp!
2 toques fortes = É você, seu palhaço!
3 toques fortes = Vai tomar no c*! (ou Vai-te à m).
3 toques curtos e cadenciados = O sinal vai abrir…
1 toque forte e longo = O sinal abriu há 0,2 segundos, pô! Eu avisei!
2 toques leves seguidos de assovio = Deusa maravilhosa, tamos aí!
1 toque breve e 1 longo = Já tô aqui embaixo, desce pô! (poupa-celular).
1 toque breve seguido de 2 longos = Não me fecha, táxi de m.
1 toque breve seguido de 3 longos = Não me fecha, caminhão de m.
1 toque breve seguido de 4 longos = Não me fecha, ônibus de m.
1 toque forte quase infinito (sujeito a efeito Doppler) = Sai da rua, fdp!
7 toques breves ritmados (pâ–pa-pa-pa-pam—pã-pã) = Ninguém atravesse a rua ou abra a porta do carro porque eu estou passando nessa rua estreita (se a rua for longa, repetido infinitamente tal qual uma sirene).
De 2 a 3 toques fortes curtos = Oi, Tchau ou Obrigado (vai saber, serve pra tudo e ninguém entende mesmo).
De 10 a 15 toques fortes curtos = Fulano! Fala aí! Sou eu! Aqui no carro! Não tá vendo pô? Aquiii! Oi! (o que em geral causa constrangimento no alvo da buzinada, que tenta desesperadamente fingir que não é com ele).
39 toques breves e fortes = Kombi ou van avançando o sinal pra cima dos pedestres.

Motos:
12 toques breves por segundo = moto passando entre carros.
12 toques breves por segundo = moto entrando no túnel.
12 toques breves por segundo = moto saindo do túnel.
12 toques breves por segundo = moto entrando na garagem.
12 toques breves por segundo = moto saindo da garagem.
12 toques breves por segundo = moto na contra-mão.
12 toques breves por segundo = moto andando na calçada.
12 toques breves por segundo = moto avançando sinal.
12 toques breves por segundo = moto fazendo conversão proibida.
12 toques breves por segundo = moto reclamando de fechada.
12 toques breves por segundo = moto com 3 pedindo prioridade.
12 toques breves por segundo = moto.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui