Barra da Tijuca por SCarioca não é apenas aquele que nasce na Cidade do Rio de Janeiro. Também é carioca aquele que, nascido em qualquer outro local do planeta, escolhe o Rio como seu pouso e adota o carioca way of life. Acontece que, tanto para os cariocas de nascimento, como para os cariocas por opção, está caro – muito caro – morar no Rio e vivenciar o estilo da Cidade.

O cotidiano de qualquer um de nós serve para ilustrar o tamanho do rombo existente em nossos bolsos. Afinal, estão caros a passagem do transporte público, o combustível, o estacionamento e o táxi. O mesmo vale para os produtos do supermercado.

As contas do barzinho de sábado à noite e do restaurante perto do trabalho também estão custando os olhos da cara. E se você pensa que os serviços vão dar o refresco, está muito enganado: seu eletricista, seu encanador, seu técnico de televisão à cabo, seu mecânico e sua manicure muitas vezes ganham mais do que você. E não se esqueça que a dona da pet-shop que tosa e dá banho em seu cãozinho está milionária. Até mesmo o camelô aumentou o preço da água mineral!

E o colégio dos filhos? E o sanduíche natural nas lanchonetes do Centro do Rio? E os cinemas e teatros para quem não paga meia-entrada? E o plano de saúde da vovó? Jogo de futebol com a família? Nem pensar!

E os aluguéis? Meu Deus, os aluguéis! Alugar um imóvel é impossível e comprar está fora de cogitação. Sorria se você se formou, quer sair da casa dos pais e não consegue.

Enfim, cada vez mais está sendo preciso ser rico para ser carioca e o poder público, por sua vez, ao invés de limitar, incentiva a especulação e se alia aos especuladores. Alguns especialistas dizem que o cenário vai melhorar depois das Olimpíadas, quando o Rio deixará de estar tanto em evidência. Quem sabe? Será?

Aproveitem enquanto a praia é de graça.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui