Foto: Vinicius Loures

Em depoimento à Polícia Federal, no qual apresentou razões pelas quais descumpriu dezenas de vezes a ordem de usar tornozeleira eletrônica, de acordo com o texto do escrivão, Daniel Silveira disse que “o cachorro roeu o carregador do aparelho, o que motivou sua ida até a central para troca do carregador”.

Além disso, Silveira alegou “falhas sistêmicas” na região serrana do Rio de Janeiro, o que, segundo ele, o impedia de carregar o aparelho. O delegado informou ao ministro que consultará a companha de energia elétrica.

De acordo com Daniel Silveira, em muitas das 22 vezes nas quais houve falta de carregamento do aparelho, o motivo foi o anti-inflamatório que ele usa. Segundo o deputado, o remédio provoca “muito sono”, motivo pelo qual a tornozeleira deixa de ser carregada.

Ele alegou, ainda, que os treinos diários de muay thai “podem ter danificado o interior do equipamento, mas a cinta externa está intacta”.

2 COMENTÁRIOS

    • Ou q só as urnas eletrônicas com software de 40 anos do Tse do boca de veludo,são invioláveis!!Ele deveria recomendar essa tecnologia pra o Pentágono ou NASA!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui