O Bispo de São João del-Rei, Dom José Eudes Nascimento desde que assumiu a Diocese histórica em Minas Gerais vem causando sofrimento aos moradores seja por suas ações ou pior, por suas omissões. Egresso da Diocese de Leopoldina, onde durante alguns anos foi Bispo, Dom Eudes ou “Dom José”, como prefere ser chamado deixou tristes lembranças e nenhuma saudade. As Paróquias que integram a Diocese de Leopoldina, dentre elas Além Paraíba, em sua grande maioria não tinham afeição pelo Bispo em questão. De difícil acesso, com conhecimentos teológicos pífios, José Eudes marcou sua passagem em Leopoldina como um Bispo autoritário, que perseguia Padres do Clero que não comungavam de seu pensamento retrógrado, preconceituoso, desagregador e nada próximo do rebanho. Uns poucos Padres e meia dúzia de bajuladores achavam o mencionado Bispo o máximo. Conhecido por suas homílias cansativas, Dom Eudes é lembrado também pelo “tique” nervoso que tinha que o levada a levantar e baixar a planta dos pés quando pregava. Ao ser transferido para São João del-Rei sua saída foi comemorada e sua chegada na histórica cidade vista com apreensão pelos Católicos. Sua fama o precedia. Dentre as medidas sem pé ou cabeça tomadas pelo Bispo está por exemplo a de proibir fogos de artifício nas cerimônias tradicionais na Diocese e Paróquias, algo que ocorria a séculos. Agora, segundo o site “Notícias Gerais” o Padre da Paróquia de Tiradentes proibiu que as tradicionais Congadas, manifestação secular na cidade. A Congada foi proibida de entrar na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Leia o que diz parte da matéria publicada no site Notícias Gerais: ” Desde o dia 28 de julho de 2019, as ruas e becos históricos da centenária Tiradentes não ecoam o tradicional som dos tambores da Congada de Nossa Senhora do Rosário e Escrava Anastácia.  Até então, o som característico e compassado das zabumbas e gungas, que saíam de dentro da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, era escutado por todo o centro histórico da cidade. Hoje, silenciados, os congadeiros manifestam sua fé fora de sua casa de oração e devoção.   Com as portas fechadas, os congadeiros foram proibidos de entrar dentro da igreja que seus antepassados construíram. O lamento do grupo é que a situação não se deve à pandemia que asssola o país, mas ao preconceito movido pela imagem estampada na bandeira da Congada – a da escrava Anastácia. Há um ano e cinco meses, o padre responsável pela igreja proibiu a entrada do mestre Prego e sua Congada. Até hoje, a igreja mais antiga do município segue com suas portas fechadas para a mais tradicional manifestação religiosa do povo negro de Tiradentes.” 

O Bispo, pelo Direito Canônico sucede os Apóstolos e Governa a Diocese, logo qualquer atitude polêmica ou não de um Padre precisa ter no mínimo a autorização do Bispo. O Site “Notícias Gerais” tentou contato com a Assessoria da Arquidiocese que permaneceu silente, posição bem típica de Dom José Eudes que nada deve ter de interessante a explicar. Em contato com o Jornal A Gazeta, sob sigilo de fonte, um Católico ligada a importante irmandade Católica de São João del-Rei, afirmou que pior que as ações do Bispo é a sensação de não ter o que fazer, “não queremos reclamar com o Bispo, queremos reclamar do Bispo”, afirmou a fonte. O intrincado sistema do Vaticano de escolher seus Bispos pelo Mundo é no mínimo não funcional. Vê-se que em alguns casos são nomeados como Bispos, Padres que teriam no máximo condição de ouvir confissões de adolescentes em fase de preparação para a primeira Eucaristia. Em outros casos, Padres com preparo levam anos para serem nomeados para o Episcopado isto quando são.

O Jornal A Gazeta informou à fonte de São João del-Rei que de fato reclamações dirigidas a CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil contra as peripécias de Dom José Eudes de nada valem. A CNBB é apenas um órgão que reúne os Bispos brasileiros sem qualquer poder de intervenção sobre as atitudes de cada um. O mais correto é dirigir uma reclamação à Nunciatura Apostólica no Brasil (Endereço: Quadra Ses 801 St Embaixadas – s/n lt 1 – Brasília, DF, 70200-010) o que para o caso específico das Congadas não adiantaria já que o novo Núncio nomeado para o Brasil, Dom Giovanni Di Quatro, ainda não veio da Itália para assumir a Nunciatura. O Núncio é o representante do Papa em um País. Foi informado à nossa fonte de São João del- Rei que talvez possa surtir algum efeito que se juntem as reclamações acerca das atitudes do Bispo Eudes e as encaminhe diretamente, por correio, para a Congregação dos Bispos no Vaticano. O endereço é “Palazzo delle Congregazioni, na Piazza Pio XII, Cidade Estado do Vaticano – 00120”. Enquanto nada é feito Dom José Eudes segue sendo um desastre para o Episcopado Mineiro e Brasileiro, destoando da maioria de seus pares.

Para os interessados em ler a íntegra da matéria no site Notícias Gerais, segue o link.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Dauro Machado
Jornalista, especialista em assessoramento e cerimonial público, Bacharel em Direito, publicitário e Radialista. Também tem formação em Assessoria de Imprensa e relações institucionais, além de editor de jornais, livros, revistas e outras publicações

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui