Em outras oportunidades já me referi ao Monsenhor André Sampaio e as sua inúmeras qualidades e irrepreensível caráter. No dia 21 de abril de 2020, comemoramos mais um aniversário de nosso amado Monsenhor, Pároco da Paróquia Our Lady Of Mercy da Escola Americana, em Botafogo e detentor de tantas outras atribuições na Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Recordo me de uma de minhas viagens a Europa, especialmente à França quando em uma de minhas estadas na “Maison de Sans Anges”, a casa da Congregação dos Santos Anjos tive a grata oportunidade de ir até a cidade de Ars, onde está a Basílica Santuário de São João Maria Vianney, o Santo Cura D´Ars.

Minha estreita relação com a Congregação dos Santos Anjos, onde tive grande parte de minha formação como Católico e o fato da maioria das Freitas que mantém viva a primeira cãs, a desde nossa Mãe Fundadora, Madre Maria São Miguel, levam a passar período com elas. Na beleza das montanhas do Jura está o palacete medieval, construído por Luiz, Rei dos Francos onde vivem as irmãs desde o século XVIII.

A Superiora da Casa, Irmã Maria Carmen Pinto Ferreira, natural de Além Paraíba, minha cidade natal nas Minas Gerais levou então a Ars para conhecer o Santuário dos Padroeiros dos Padres.

Logo na entrada da cidade existe uma estátua em bronze onde o São João Maria Vianney aponta seu indicador para o céu diante de uma criança que olha espantada. A história nos conta que, designado para ser o Cura (Padre) de Ars, São João Vianney não encontrava o caminho da cidade quando se encontrou com uma criança e disse a ela: – “Tu me mostras o caminha para Ars e eu te mostrarei o caminho para o ceú”.

Esta frase simples foi compreendida por aquela criança que o levou o Cura D´Ars até a cidade sem saber que seria ele um dos grande homens da Igreja Católica, mais adiante Canonizado e Padroeiro dos Padres. O corpo incorrupto do Cura D´Ars repousa na Basílica a ele dedicada.

Feitas tais considerações iniciais, vejamos a profundidade e a responsabilidade dos Padres. A exegese e a teologia tornam-se menos importante diante desta simples frase: “Eu te mostrarei o caminho o caminho do Céu”; Está tudo aí. Nada mais precisa ser dito.

A função precípua de um Padre é antes de tudo mostrar-nos o caminho do Céu. E como um Padre aplica este ensinamento? Sendo justo, sendo paterno para acarinhar, paterno para guiar o filho na estrada do bem, paterno para perdoar e paterno para chamar atenção quando necessário. Um Padre assim era o Cura D´Ars; outros Padres certamente também o são mas, nesta coluna afirmo, Monsenhor André Sampaio de Oliveira o é. Do alto seus quase dois metros de altura, seu olhar paternal sobre aqueles que como eu tem nele seu orientador espiritual é doce, consolador, aconselhador, enérgico e professoral.

Quando comemoramos mais um aniversário do Monsenhor André comemoramos o dom de sua vida e agradecemos a Deus sua vocação. Dentre as tantas qualidades que vejo nele, está a simplicidade, a caridade sem holofotes, a inteligência privilegiada sem arrogância e principalmente a insuportabilidade ante as injustiças e perseguições.

Eu não tive a oportunidade de viver no tempo do Cura D´Ars mas agradeço a Deus a oportunidade de viver no tempo do Monsenhor André Sampaio e ser diante dele sempre aquele menino em que ele mostra o caminho do Céu. Deus o guarde, o proteja e não o desampare.

Sem qualquer receio afirmo: EXEMPLO é a palavra que define o Monsenhor André Sampaio, a quem desejo felicidades e parabéns.

Jornalista, especialista em assessoramento e cerimonial público, Bacharel em Direito, publicitário e Radialista. Também tem formação em Assessoria de Imprensa e relações institucionais, além de editor de jornais, livros, revistas e outras publicações

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui