Na coluna desta semana, tomei a liberdade, com a devida autorização, de replicar um riquíssimo texto escrito pelo Jornalista Carlos Moioli, integrante da Arquidiocese do Rio de Janeiro sobre o trabalho do Monsenhor André Sampaio, membro do Clero carioca. No período do Natal, Monsenhor André com seu coração generoso e fiel aos ensinamentos do Evangelho conseguiu centenas de cestas básicas e as enviou para diversas paróquias da Arquidiocese para que pudessem ser distribuídas aos que necessitavam. Monsenhor Sampaio, Diplomata da Santa Sé, Mestre e Doutor em Direito Canônico, Prior da Ordem do Santo Sepulcro de Jerusalém, Professor Universitário, Poliglota e Pároco da “Our Lady Of Mercy (Nossa Senhora da Misericórdia), Igreja localizada na Escola Americana, no Bairro de Botafogo, mais uma vez nos mostra com mais esta dentre tantas grandiosas atitudes que a caridade não deve ser encarado como um dever mais como uma atitude que nos coloca mais próximo de Deus. Abaixo está a Coluna de Carlos Moioli:

Anunciemos exemplos para mover montanhas
“Há dois mil anos, Jesus de Nazaré viveu na antiga Palestina. Chamado de Cristo, que do grego se traduz o hebraico “Messias”, teve uma vida marcada pela doação aos enfermos, pobres, rejeitados, abandonados e esquecidos. Não faltaram homens santos dedicados à contar a sua história, que atravessaria milênios, como o maior exemplo e inspiração para que bilhões de pessoas pudessem seguir seus passos até os dias atuais.

Na história mais recente, exemplos cristãos devotos dos ensinamentos de Cristo também deixaram um legado igualmente inspirador, capaz de converter o mais cético dos bárbaros. Tudo isso nos revela a importância de anunciar a presença e a graça de Deus Pai. São os relatos em vida que mantém a chama da nossa fé ardente. “Buscai o bem e não o mal, e vivereis; e o Senhor, Deus dos exércitos, estará convosco, como o dizeis..” (cf. Amós 5,14). Ora, se vivo na presença do Espírito Santo em mim, se D’Ele me nutro e fortaleço todos os dias, como posso esconder a alegria e a pureza de seu amor? Somente pelos exemplos abundantes do amor de Cristo de homens comuns que vivem no meio de nós é que podemos reviver o batismo e enfrentar a calamidade e a maledicência de um mundo que também está cheio de falta de fé e desamor.

Neste fim de ano, atípico pela pandemia que nos afastou fisicamente, fui testemunha da devoção de presbíteros, religiosos e leigos que não mediram esforços para estar presentes em comunidades carentes, como assim o fez monsenhor André Sampaio de Oliveira, pároco da Paróquia Nossa Senhora da Misericórdia, no Rio de Janeiro, distribuindo alimentos aos irmãos e irmãs cariocas que estão sofrendo as consequências da crise econômica e sanitária pela qual atravessamos. Seu exemplo – destemido e obstinado – fomentou o nosso reencontro com o Menino Jesus, nascido em uma manjedoura, para nos salvar de nossos pecados.

A campanha de alimentos é realizada anualmente. No ano de 2020 foi feita para a Páscoa, mas perante às necessidades, houve uma segunda campanha. Daí em diante, todas as sextas-feiras acontece a Campanha Sexta da Misericórdia, entregando cestas básicas para famílias carentes e alimentos para serem preparados para a população de rua, sob a responsabilidade dos Missionários de Nossa Senhora e as Irmãs Missionárias da Caridade, ambos na Lapa. Foi feita uma grande campanha em setembro, mês da padroeira, e também no Natal, na qual foram superadas todas as expectativas, alcançando o número de 1.760 cestas.  Contando ainda com a parceria do Rotary de Ipanema e da Associação Beneficente dos Amigos do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (Abaterj), foi possível ajudar diversas paróquias da arquidiocese situadas em regiões periféricas da cidade.

Este trabalho pastoral do monsenhor André Sampaio de Oliveira não foi feito só no final de ano. Todas as sextas-feiras, inspirado nas sextas-feiras da misericórdia do Papa Francisco, ele percorre as periferias existências da Arquidiocese distribuindo alimentos para os mais necessitados.

No meio de tantas notícias tristes, de fofocas, de ingratidão a Deus e de perseguição aos cristãos em todas as partes, o bom exemplo – seja do nosso irmão, vizinho, amigo de trabalho, pároco da Igreja que frequentamos – deve ser exaltado como único meio de inspiração em tempos de ataques aos valores cristãos. Vemos cada vez mais as redes sociais e a mídia noticiarem tragédias e temos uma profunda carência de bons exemplos. Convido você, hoje, a compartilhar um bom exemplo que viu sendo praticado, como o do monsenhor André Sampaio de Oliveira.

Na minha caminhada como cristão, carrego gratidão pelos exemplos que mantiveram a luz da minha fé ardente – e aqui reproduzo humildemente e com a esperança de aquecer novos corações – de iniciativas particulares da Igreja e de homens que dedicam sua vida ao próximo. São estas histórias que podem converter novos discípulos ainda incrédulos, como Saulo que acreditou no que viu claramente, tornando-se apóstolo Paulo. “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situa­da sobre uma montanha nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa. Assim, brilhe vossa luz dian­te dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus.”(Mateus 5,14-16)

Neste novo ano, desejo que mais homens e mulheres obstinados como monsenhor André Sampaio possam levar os exemplos de Cristo à luz dos olhos humanos: não há motivos para escondermos o bem. Devemos ter vergonha e sufocar dentro de nós o que é mal. São os bons exemplos e atitudes cristãs que multiplicam a fé em Deus. Tenham orgulho de espalhar aos quatro cantos a presença de Cristo entre nós. O que agrada a Deus deve ser mostrado e revelado, para que nada fique encoberto.

Semeie você também um exemplo concreto da presença de D’Ele. Compartilhe elogios que sirvam de inspiração aos nossos irmãos. E colha um mundo mais justo, fraterno, cristão e amoroso.”

Carlos Moioli (Jornalista e integrante da Assessoria de Comunicação da Arquidiocese do Rio de Janeiro).



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Dauro Machado
Jornalista, especialista em assessoramento e cerimonial público, Bacharel em Direito, publicitário e Radialista. Também tem formação em Assessoria de Imprensa e relações institucionais, além de editor de jornais, livros, revistas e outras publicações

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui