O projeto foi reformulado e levado para o ambiente virtual respeitando os protocolos de distanciamento social. Os inscritos têm acesso ao grupo do Telegram dos candidatos, e lá recebem as primeiras instruções, além de participarem de conferências com os técnicos da Defesa Civil por meio da plataforma Zoom. Eles, ainda, receberão treinamento com instruções de primeiros socorros, prevenção de incêndios, entre outras. As inscrições podem ser feitas pelo site.

Além da capacitação da equipe de voluntários, existe a previsão de treinamento de agentes comunitários e de vigilância em saúde para auxiliar moradores de todas as regiões da cidade nas ações de defesa civil. O objetivo é criar uma grande rede de pessoas engajadas nas ações preventivas na cidade.

O grande desafio da Defesa Civil é tornar os cidadãos cada vez mais resilientes frente às mudanças climáticas, principalmente nas ocorrências de chuvas fortes. Não é da nossa cultura agir antes que as coisas aconteçam. Entretanto, é fundamental conhecer o risco, saber o que fazer caso ele se concretize e agir – afirma o subsecretário de Proteção e Defesa Civil, Marcio Moura Motta.

Entre as medidas que fazem parte da rotina do órgão, estão os simulados de desocupação em diversas áreas e comunidades onde estão instaladas as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme Comunitário para Chuvas Fortes. Os simulados também são realizados em locais onde há risco de alagamentos. Para isso, os técnicos trabalham na elaboração de um protocolo para informar, através de mensagem de SMS, as lideranças e voluntários responsáveis pela abertura dos pontos de apoio.

No dia 25 haverá um simulado na área do Complexo da Praça Seca, na Zona Oeste; e no dia 29 será vez das comunidades do Acari, Fazenda Botafogo e Parque Colúmbia receberem o simulado para locais que contam com risco de alagamento.

Na carta de serviços do órgão, estão disponíveis diversos tipos de vistorias em estruturas atingidas por incêndios, rachaduras e trepidações, ameaça ou rolamento de pedras, ameaça ou queda de passarela ou viadutos, deslizamento de encostas ou taludes, entre outros.

Além disso, disponibiliza um serviço gratuito de divulgação de alertas de chuvas fortes para a população através do envio de mensagens de texto para os celulares cadastrados. Para isso é necessário enviar um SMS com o CEP da residência para o número 40199.

A Defesa Civil Municipal do Rio de Janeiro foi criada em 1978 com a missão de reduzir e mitigar os efeitos de desastres naturais na cidade, marcada pelas características geográficas acidentadas e pela ocorrência de chuvas fortes que causam diversos transtornos, como alagamentos e deslizamentos de terra. O órgão coordena ações tanto educativas quanto operacionais e mobiliza a população da cidade em eventos onde se faz necessário uma resposta rápida em situações de emergência.

Desde 2018, com a publicação no Diário Oficial em 16 de maio do Decreto nº 44.554, faz parte dos órgãos que integram a Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEOP) e teve o nome alterado para Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil (SUBPDEC).

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui