Praia de Botafogo - Foto : Pedro Kirilos | Riotur

A atividade turística contribui de forma decisiva para a democracia. Isso acontece, quando a atração permite que turistas de inúmeros países possam usufruir de experiências culturais distintas das que geralmente têm acesso. Assim, eles podem entender melhor a diversidade.

Os deslocamentos possibilitam não só o contato com belezas naturais, mas aproximam pessoas com pensamentos diferentes. Visitar culturas com pressupostos totalmente diferenciados, abre as cabeças para a realidade de uma sociedade repleta de opções. Essa oportunidade une os indivíduos, mesmo quando tentam negar casos da história, por exemplo, os momentos históricos: como o apartheid, holocausto ou ainda, a ditadura militar no Brasil.



O Código de Ética Mundial do Turismo, talvez o melhor material concebido pela Organização Mundial do Turismo, nos remete ao respeito constante aos atores que fazem parte da cadeia turística. O conteúdo é desenvolvido em uma visão de comercialização.

Conscientização

A população anfitriã assume um papel fundamental. A sociedade deve ser conscientizada sobre os efeitos positivos e negativos do segmento turístico. No fundo, a preparação dessas ações pode evitar conflitos que ocorrem no mundo a fora, em função do “over turismo”. Atividade que gera um grande mal e está localizado nos centros receptores e cria uma animosidade.

Por outro lado, nosso grande desafio é fazer com que turistas entendam os valores enraizados nas diversas cidades do mundo e possam com a sua absorção, melhorar o entendimento de religiões, opções sexuais ou políticas.

Os grupos minoritários merecem o respeito da humanidade e não podem ser descartados, sob pena de trazerem de volta sentimentos que deveriam estar enterrados para sempre. Porém, essas sensações começam a florescer em algumas partes do mundo. E as consequências acontecem por meio de escolhas governamentais que querem acabar com a imigração e o asilo político.

Precisamos sobreviver dentro de uma sociedade sem ódio e que não esteja carregada de fake news. Conduta gerada por um conjunto de posts em redes sociais, que confundem o pensamento, sobretudo do senso comum. Porque, não possuem o discernimento para avaliar as mentiras turísticas veiculadas.

Democracia

A democracia permite que possamos externar nossas ideias. Atitude que deve ser realizada com respeito. Ação que promove a discussão de conhecimentos sólidos e que não deveria ser baseada em “achismos” ou ideias pré-concebidas. É lamentável, por exemplo, um falso entendimento de esquerda e direita, de Islamismo ou ainda de nações totalmente desconhecidas, que são alvo de constantes retaliações turísticas por completa falta de informação.

O Airbnb contribuiu para que o turismo se democratizasse e permitisse um maior contato entre o turista e o anfitrião. Essa ideia é lançada por meio de novas experiências e da transformação do espaço residencial em um ambiente de trocas.

Luxo muitas vezes não oferece a melhor experiência

Nem sempre a melhor experiência turística será um hotel de luxo ou uma primeira classe. Hoje, empresas aéreas inovam, cada vez mais, a classe econômica e meios de hospedagem. Essas organizações abrem frentes de alojamento competitivos e com preços atraentes, dentro de novas visões de vendas. Fora os cruzeiros marítimos e o parcelamento de viagens. E assim, criam um novo segmento em países emergentes.

O turismo sempre será um caminho de aprimoramento da democracia e da diversidade. A luta por uma nova visão dos produtos culturais faz parte das políticas desenvolvidas nos maiores receptores do mundo. Democracia e turismo caminham juntos, de braços dados e com vontade de mudar o mundo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui