Deputado bolsonarista, Anderson Moraes, propõe acabar com a UERJ

Deputado Anderson Moraes propõe o fim da UERJ pelo custo mensal dos alunos e "por ter um nítido aparelhamento socialista"

Foto: Rafael Wallace

Na quarta-feira, 19/5, o deputado estadual Anderson Moraes (PSL) entrou na UERJ para arrancar uma faixa fixada no Pavilhão João Lyra Filho, com a seguinte frase “Vacina no braço, comida no prato! Contra a destruição do serviço públicos. Fora Bolsonaro e Mourão”. O deputado bolsonarista resolveu apresentar um projeto de lei para acabar com a Universidade.

Em seu projeto de lei protocolado nesta terça-feira, 25/6, o deputado permite ao Poder Executivo extinguir a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, e promover a cessão onerosa de bens móveis e imóveis para a iniciativa privada. E o que não for absorvido, seria transferido para outras universidades estaduais, como a UEZO e a UENF.

Em sua justificativa, Moraes diz que cada aluno da UERJ teria um custo mensal de R$ 4.523, excluindo o Hospital Pedro Ernesto, o que elevaria para mais de R$ 5.000 o custo por aluno. E que é a universidade, com orçamento anual de R$ 1.550.940.923,00, um dos órgãos estaduais que mais causa impacto no orçamento do estado. Orçamento maior que o de Nova Iguaçu, São Gonçalo ou Belford Roxo.

Mas esta não é a verdadeira razão para o projeto de lei, já que o deputado cita que “é nítido o aparelhamento ideológico de viés socialista na Universidade, com clara censura ao pensamento acadêmico de outras linhas de visão de mundo“. O que, bem, é basicamente qualquer universidade…

Veja o projeto protocolado:

Advertisement

7 COMENTÁRIOS

  1. Ele tentou entrar em universidade pública por vestibular e não conseguiu, não tem raciocínio suficiente. Acabar com universidade é crime mas como ele apoia um cara que não lê nada e só fala em mortes acredito que o deputado faz a mesma coisa.

  2. Não vou entrar no mérito da doutrinação, mas de custo. A UERJ é caríssima e com todas as mazelas da administração pública. O custo unitário por aluno é astronômico e foi aberto quando o Estado do RJ começou a atrasar os pagamentos. Seria mais barato que o Estado do RJ pagasse uma faculdade pra quem passasse num vestibular que ele mesmo custear uma UERJ da vida. Não deve existir fetiche de que a instituição “tem que ser pública”: tem que ser eficiente. Coisa que ela não é. Espero que a bola levantada pelo deputado seja debatida em diversos ângulos. Reforma Administrativa JÁ!

  3. Concordo com o deputado bolsonarista pela primeira vez.
    E pode também acabar com a UENF e UEZO.
    Mas isso porque na minha opinião universidades deveriam estar nas mãos do Governo Federal…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui