Foto: Rafael Wallace

Alguns projetos de Lei deveriam ser parados no protocolo da Alerj, um diretor que diga: – Deputado, apresenta isso não!. Esse é o caso do PLei 4185/2023 do deputado bolsonarista Anderson Moraes (PSL), que consegue ter um jabuti na própria ementa. O projeto pretende declarar como patrimônio imaterial cultural do Estado do Rio de Janeiro a irreverência do Povo Fluminense, enquanto também proíbe a censura do “politicamente correto” em sua liberdade de manifestação e expressão.

A Lei pretende “assegurar e fomentar a cultura da Irreverência do povo fluminense e suas manifestações próprias, sem regras discriminatórias“. O que, bem, no mínimo entra em conflito com leis contra machismo, racismo e preconceitos em geral. Afinal, uma coisa é ser politicamente incorreto, o outro é falar besteira mesmo.

E Moraes vai além, ele quer vedar a prática do “politicamente correto” no Estado do Rio de Janeiro, restando assegurado o pleno exercício da liberdade de pensamento e expressão do povo fluminense. Apesar de ambas serem garantidas pela Constituição.

Em sua justificativa, Anderson Moraes cita a letra da música Cariocas, de Adriana Calcanhoto. Que fala de cariocas, e não de fluminenses, inclusive é bom ressaltar que indo para Niterói até o sotaque é diferente.

Mas destas leis absurdas que só estão aí para mitar mesmo.

1 COMENTÁRIO

  1. Ah, então quer dizer que justamente quem combate a censura está a favor da censura?
    Contrassensos à parte, o que era estúpido, agora quer virar imbecil?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui