Foto; Reprodução Internet

O deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL) apresentou na Alerj o Projeto de Lei 2855/2020 para que o Funk seja reconhecido como patrimônio cultural do Rio de Janeiro.

De acordo com o texto da proposta, o Poder Público deverá assegurar e fomentar a cultura e o movimento funk, a realização de suas manifestações próprias, sem regras discriminatórias, nem diferentes das que regem outras manifestações da mesma natureza.

Segundo a medida, os assuntos relativos à cultura funk deverão, prioritariamente, ser tratados pela Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa, que poderá, inclusive, abrir pasta específica para o tema.

O projeto diz, também, que o governo deverá promover ações de divulgação, formação e capacitação, ligadas às modalidades artísticas características do movimento funk, além de atividades que visem à discussão, à troca e ao debate de ideias relativas às políticas públicas para a juventude.

O objetivo do projeto, segundo Amorim, é valorizar e resgatar a cultura do funk carioca, sem, segundo ele, exaltar o chamado “funk proibidão“.

“O Rio tem vários ritmos próprios nativos. É daqui a Bossa Nova, é daqui o funk do Big Boy, do MC Serginho, da banda Black Rio, do Tim Maia. A questão é que precisamos combater o culto repugnante ao Proibidão, a esses funks asquerosos que defendem criminosos e propagam inclusive a misoginia e o estupro. Por isso, deixei bem claro no meu projeto que esse tipo de funk feito por marginais não se encontra no escopo. Quero a sobrevivência do funk com irreverência, bem no estilo do nosso povo trabalhador – não dos nossos bandidos. Deles eu jamais terei orgulho“, disse o Deputado que apresentou, também, o Projeto de Lei 2856/20, que prevê a criação da Escola de Música Popular Carioca.

“Essa é uma ideia que quero dar para o governo, na qual as nossas variadas músicas – samba de raiz, pagode, partido alto, funk, chorinho, o nosso pop e o nosso rock – sejam estudadas e preservadas. Mas, de novo: sem exaltação a bandidos”.

Confira a íntegra do Projeto de Lei que reconhece o Funk como patrimônio cultural.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.




Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui