Eduardo Paes

O Prefeito Eduardo Paes e sua equipe tomaram há algum tempo uma decisão polêmica que agora se concretiza: A Prefeitura do Rio realizará a demolição do Elevado da Perimetral, que conecta importantes vias arteriais da Cidade.

Muito se debateu a respeito da viabilidade, dos possíveis transtornos e do acerto dessa decisão. Enquanto alguns diziam que a derrubada do Elevado seria fundamental para a revitalização da Zona Portuária do Rio, outros afirmavam que não se poderia desperdiçar dinheiro e correr o risco de afetar o trânsito da Cidade de forma irreversível por conta de uma questão meramente estética.

Contudo, embora este que vos escreve possua uma opinião pessoal negativa sobre a derrubada da Perimetral na forma como está sendo conduzida e nos motivos que a ensejam, deixemos esse debate de lado. Tratemos a demolição como um fato consumado e passemos a analisar os fatos ocorridos desde que o longo viaduto foi fechado recentemente.

Nos primeiros dias úteis sem a possibilidade de utilização da Perimetral pelos motoristas implantou-se o caos no trânsito da Cidade, com reflexos em bairros distantes, enorme lentidão, passageiros descendo dos ônibus e preferindo seguir viagem a pé, despreparo dos responsáveis por organizar o tráfego, falta de informação para os cidadãos, coordenação pífia com outros sistemas e meios de transporte, mudança repentina dos pontos de parada, sinais de trânsito em uma via nova que deveria ser expressa e, principalmente, falhas estruturais surgindo nas tais alternativas viárias alardeadas aos quatro ventos pela Prefeitura.

Em resumo, independentemente da opinião que se tenha sobre a derrubada da Perimetral, é consensual a visão de que a Prefeitura, se queria tanto fechar o Elevado a ponto de fazê-lo com poucos testes, com pressa e sem dialogar com a população, deveria ter planejado o dia seguinte com mais competência e respeito pelo cidadão que pagou pela construção da Perimetral e agora pagará pela sua demolição.

1 COMENTÁRIO

  1. O Elevado da Perimetral tirava a estética da cidade, era uma construção feia, horrenda, um pedregulho em frente a Baía e lançando praças, ruas, locais e edifícios em completa escuridão. Estamos em 2019 e duvido alguém ir na Praça Mauá hoje e ver o Museu do Amanhã e a vista sensacional da Baía de Guanabara e toda o Boulevard Olímpico e a Orla Conde até o AquaRio (com o mural Etnia do Kobra) e dizer que não melhorou. Esteticamente a cidade ganhou! Ganhamos um novo ponto turístico. O Porto ganhou vida, ganhou cor. Acabou a ideia de turismo só no Maracanã, praias, Corcovado e Zona Sul. Hoje em dia turistas de outros países vem para passear e tirar fotos ali. Será que daria para tirar fotos bonitas debaixo da Perimetral? A vista da Baía de Guanabara foi devolvida ao público. A Perimetral ali era como se colocassem um viaduto em frente a Orla de Ipanema ou Copacabana, a beleza ficava escondida. As pessoas se esquecem que as vezes é necessário colocar coisas abaixo para a cidade ganhar coisas novas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui