Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora da Glória de Belford Roxo (Foto: Reprodução Internet)

O aposentado de 74 anos, Cipriano Chaves, está internado na instituição de saúde privada, Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora da Glória de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, por conta de complicações geradas após uma cirurgia para a retirada da vesícula, realizada no último dia 18 de agosto. Sem conseguir atendimento médico e nem a transferência para outro hospital, a família teme pela vida do paciente.

Após ter sido submetido a cirurgia para a retirada da vesícula em agosto, procedimento clínico aparentemente simples, o idoso foi liberado pela equipe médica logo no dia seguinte, mas desde as primeiras horas após ter alta, ele começou a sentir mal, relata Vitória, filha de Cipriano.

Ele não conseguia comer, foi perdendo as forças porque ele não comia, foi perdendo as forças e nem conseguia mais andar. Na terceira tentativa de tentar interná-lo novamente o médico apenas fazia exames e não o internava. Conseguimos o interná-lo no dia 10 de setembro, mas de lá pra cá, ele só está piorando. O hospital não tem suporte, não o transfere para uma UTI“, que completa.

Ele está no quarto, sem o suporte de vida necessário, está com o oxigênio errado, meu pai não está mais falando, não está mais respondendo por ele. A gente não sabe quanto tempo ele tem e não tem ninguém para dar uma posição no hospital. Não tem médico, não tem enfermeira“,

Nova cirurgia sem conhecimento da família

Vitória também diz que no mesmo 10 de setembro, quando conseguiu que seu pai fosse internado novamente, os médicos realizaram uma nova cirurgia sem o conhecimento dos parentes.

Eles não passaram informação completa da cirurgia, não falaram para a família, o porque de estarem fazendo. Simplesmente abriram meu pai todo novamente, fizeram uma nova cirurgia e ele só foi piorando dali pra cá“.

Falta de profissionais

A família de Cipriano também denuncia a falta de médicos e enfermeiros na Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora da Glória de Belford Roxo. Segundo eles, os profissionais de saúde só aparecem para trabalhar de três em três dias. Em diversos momentos, a unidade fica sem médicos.

Eles se negam a mostrar o prontuário do paciente. Ele dizem que o médico levou, isso não existe, prontuário tem que ficar no hospital“, conta Vitória.

Ela também diz que os médicos alegam que Cipriano precisa de sangue e que pediu que os parentes façam doações no Hemorio em nome dele para que o material seja coletado. No, entanto, a Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora da Glória de Belford Roxo não tem cadastro no centro de doação e coleta de sangue do estado.

Sem condições financeiras para contratar uma ambulância com infraestrutura adequada que possa fazer a transferência do idoso, a família foi até a polícia que informou aos parentes que a questão pertence a esfera jurídica.

O DIÁRIO DO RIO entrou em contato com a Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora da Glória de Belford Roxo, que se limitou a informar que o setor administrativo da unidade de saúde trabalha só trabalha de segunda a sábado, sem qualquer tipo de plantão para emergências dos pacientes.

Atualização

Após a publicação da matéria no DIÁRIO DO RIO neste domingo (05/10), o paciente Cipriano Alves foi levado para um leito pós cirúrgico com uma infraestrutura mais adequada ao seu estado de saúde. A família informou que os médicos apareceram, e que no momento aguardam uma transfusão de sangue em uma mini UTI, contudo, os parentes dizem que a Casa de Saúde e Maternidade Nossa Senhora da Glória de Belford Roxo não tem uma instalação desse tipo.

Segundo o corpo médico, uma transferência para outra unidade está fora de cogitação, em função da falta de vagas.

A família, no entanto, diz que ele precisa ser transferido para uma UTI o quanto antes, uma vez que a unidade de saúde não dispõe de meios para seguir com o atendimento. Os parentes seguem com acesso limitado ao paciente.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

8 COMENTÁRIOS

  1. Tem que botar a boca no trombone denunciar chamar imprensa, infelizmente nós não temos direito a saúde, político só promete , as pessoas comentam olhe bem em quem vocês vão votar , quando se elergy ele ó olha para o próprio umbigo, ontem teve carreata de políticos aqui na minha rua que eles deveriam estar olhando o que é que os povo estão precisando fazendo reformando hospitais vendo a necessidade do povo, que Deus abençoe este senhor e a família dele que eles consigam no tratamento digno digno que Deus abençoe a todos

  2. Tem q chamar a imprensa, para as autoridades tomarem a providências.
    Q tê o prefeito Waguinho e os vereadores
    já que não fazem nada pela cidade.

  3. Esse hospital é horrível,já tive bb lá,e é um descaso com os pacientes,a noite os funcionários vão dormir e largam os pacientes, só aparecem de manhã e olhe lá. Final da semana não tem nem médicos lá.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui