Nesta quarta-feira, dia 28 de julho, comemora-se no país o Dia do Agricultor. No Rio de Janeiro, especificamente falando, o mercado agropecuário vem se sendo um forte gerador de emprego e renda, funcionando como engrenagem fundamental para fortalecer e movimentar a economia fluminense.

De acordo com o último Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2017, existem no estado do RJ mais de 160 mil trabalhadores rurais na produção agrícola para 190 mil hectares em terras cultivadas. A base do agro no estado se dá através da agricultura familiar, são os pequenos e médios produtores que trabalham de sol a sol para que não nos falte alimento.

Com a chegada da nova lei de isenção do ICMS no fornecimento de energia elétrica, ao menos 30 mil propriedades rurais do Rio de Janeiro poderão ser beneficiadas nos próximos anos. A isenção, no entanto, está condicionada à comprovação anual da exploração da atividade agrícola ou pecuária e de alguns documentos.

”O agronegócio é sinônimo de muito orgulho para o estado. O setor agropecuário, representa grande parte da economia do estado. A Secretaria de Agricultura, parabeniza o trabalhador rural que dia após dia dá o seu suor na lavoura para trazer um alimento de qualidade. O agro conquistou grandes vitórias: batemos a meta na vacinação da febre aftosa, inauguramos o Espaço do Agricultor em Miguel Pereira que será replicado em todos os municípios, e a mais recente conquista a isenção de ICMS sobre energia elétrica nas propriedades rurais do estado. A Secretaria sempre estará andando ao lado do agricultor disponibilizando incentivos através do Agrofundo, para auxiliar na produção e aquisição de equipamentos”, ressalta Marcelo Queiroz, secretário estadual de Agricultura do RJ.

Mesmo em meio às dificuldades da pandemia do novo coronavírus, os agricultores não pararam de trabalhar e seguiram na missão de alimentar, preservar e acima de tudo, dedicar amor a atividade de todos os dias. Foi assim com dedicação que o agricultor Washington Sato, de Guapimirim, município da Baixada Fluminense, contornou as dificuldades desse período complicado.

”Sou produtor de milho, aipim, quiabo, feijão e meu carro chefe é a goiaba. Possuo uma pequena agroindústria produtora de goiabada. Nossa produção anual é cerca de 100 ton da fruta. Na pandemia foi um pouco complicado, porém a comercialização foi mantida, não paramos um dia sequer, sempre seguindo com as precauções e protocolos. Com o apoio da Emater-Rio, através do Agrofundo, utilizamos a linha de crédito, Prosperar, que nos ajudou na aquisição de máquinas e equipamentos para a fábrica sendo de fundamental importância para continuarmos atendendo a demanda”, explicou o produtor.

O protagonismo feminino vem se destacando cada vez mais. As mulheres vêm conquistando seu espaço no campo e se torna fundamental para a agricultura.

”Trabalhamos com a produção de flores com destaque para girassóis que na minha família vem de geração em geração. Começou com meus avós, depois com meus pais e hoje assumo essa missão ao lado do meu marido Leandro e do nosso filho, Lucas. Temos muito orgulho do nosso trabalho. Passamos por dificuldades por conta da pandemia, mas nunca desistimos. Com a ajuda da linha de crédito, Florescer, foi possível investir na nossa produção que hoje é de 700 molhos de girassol por semana”, disse a produtora Claudia Carvalho Lage, de Miguel Pereira, na região Centro-Sul do estado.

Incentivo

Vale lembrar que, no RJ, há o ”Agrofundo”, programa de fomento agropecuário e tecnológico da Secretaria de Agricultura, operacionalizado pela Emater-Rio, que concede financiamentos a juros baixos a produtores rurais, através de diversas linhas de fomento: Multiplicar, Prosperar, Florescer, Cultivar, Frutificar, Rio Leite, Energia Limpa, Rio Ovinos, Rio Mel e Rio Genética.

Do início da pandemia até agora, foram mais de 220 produtores beneficiados, totalizando um pouco mais de R$ 4 milhões em créditos concedidos. Para solicitar o empréstimo, vale ressaltar, é necessário entrar em contato os escritórios locais da Emater-Rio ou através do e-mail agrofundo.rio@gmail.com.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui