Dono de apartamento no Leblon cobra R$ 2.000,00 ‘POR VISITA’

Cobertura que está à venda na rua Rita Ludolf pode ser visitada desde que o interessado pague 2.000 reais ao proprietário antes de entrar no apartamento. O imóvel, reformado, está à venda por R$ 11.400.000, sem corretores.

Cobertura que está à venda na rua Rita Ludolf pode ser visitada desde que o interessado pague 2.000 reais ao proprietário antes de entrar no apartamento. O imóvel, reformado, está à venda por R$ 11.400.000, sem corretores. / Reprodução: Zap Imóveis

O Leblon é, sem dúvida, um dos lugares mais desejados para se morar em todo o país. Ainda que, segundo a startup Quinto Andar, tenha sido superado em preço pela sua vizinha Ipanema, o portal Imovelweb garante que o Leblon continua sendo o metro quadrado mais caro. Mas enquanto os dois portais (que têm o mesmo dono!) ficam se contradizendo, quem está deitando e rolando – ou pintando e bordando – são os proprietários de imóveis à venda no bairro. Além da mansão que está à venda por 220 milhões, agora temos um dono de imóvel que….cobra por visita! Confira abaixo esta história que é exclusiva do DIÁRIO DO RIO.

Um belo apartamento de cobertura na rua Rita Ludolf número 78 – que fica entre as movimentadas artérias do bairro, Ataulfo de Paiva e General San Martín (isso, o militar José Francisco de San Martín era Argentino, e não Francês), com 267m2 está sendo oferecido para venda por R$ 11.400.000,00, num vídeo que vem circulando – mais em tom jocoso do que a sério, é verdade – pelos meios da corretagem de imóveis do Rio. Mas por que o tom, se os preços da região sao mesmo altos? É que o dono do apartamentaço no topo do predinho antigo de fachada pintada e janelinhas de alumínio está pedindo dois mil reais por cada visita realizada ao seu pedacinho de chão reformado pela renomada construtora Osborne com projeto super contemporâneo do arquiteto Cadas Abranches David. O filme está no fim da reportagem, já-já vamos a ele!

O discreto Edifício El Paso é composto de apartamentos de 80m2 cada um, mais a cobertura que está anunciada por R$ 11.400.000,00. Ela tem direito a uma vaga de garagem. Os apartamentos comuns no prédio costumam ser vendidos por R$ 1.500.000,00, segundo corretores consultados pelo DIÁRIO. / Google Street View

Se o predinho é bem comum, o interior da cobertura é transado e moderno. Com marcenaria de qualidade, e aquele look cinza que está na moda atualmente, o duplex tem até uma pequena hidromassagem de pedra, e está à venda de porteira fechada, incluindo os móveis que incluem sala de jantar com cadeiras cesca, sofás de couro e eletromésticos de alto luxo, incluindo um fogão que, segundo especialistas consultados pelo DIÁRIO DO RIO, pode chegar a custar quase 100 mil reais. A cobertura teria 380m2 no total, apesar de ser anunciada como tendo 267m2 no IPTU. Sem entender muito esta diferença, consultamos André Toledo, da Block Imóveis, que explicou o mistério: “às vezes um imóvel, normalmente cobertura, tem mais metros quadrados construídos do que no IPTU, porque o dono ainda não regularizou a construção. Significa que originalmente ele tinha uma metragem, mas construíram a mais, mas ainda não regularizaram. Não fizeram a tal da mais valia. Dependendo do bairro e da metragem irregular, a mais valia pode custar muito dinheiro”. É o famoso puxadinho. É, no Leblon também tem puxadinho, pessoal.

Encontramos a Cobertura da Rita Ludolf 78, cujo proprietário cobra 2000 reais por visita, anunciada no Portal Zap, mas como tendo 380m2, em vez dos 267m2 mencionados no vídeo que circula pela internet. Um corretor explicou ao DIÁRIO DO RIO a discrepância de metragem: deve ser o famoso puxadinho, parte construída depois e que deve ainda ser regularizada.

O vídeo que circula pela internet (abaixo) dá detalhes e filma todo o interior da cobertura, informando que a venda só não inclui os quadros e os objetos pessoais. Num dos quartos, há um quadro com um cavalo empinado, obra do conhecido pintor Orlando Teruz, avaliada em 45 mil reais…equivalente a cerca de 22 visitas à propriedade, que também encontramos anunciada no conhecido portal paulista Zap Imóveis. O vídeo também frisa que o imóvel não estaria com nenhum corretor. O filme começa com a filmagem da orla do Leblon, apesar de o imóvel estar localizados a exatos 281 metros da praia do bairro mais caro do Brasil. Depois, o vídeo circula por dentro do imóvel, até chegar à informação da cobrança por cada visita. O valor deve ser pago antes de entrar no imóvel, e só será devolvido se o visitante fizer uma proposta que não seja aceita. Ah, bem!

Vídeo que circula pelo Whatsapp com a cobertura cujo dono cobra 2000 reais por visita ao imóvel. / Reprodução do Whatsapp

Consultamos a tradicional imobiliária Sergio Castro Imóveis, uma das maiores da cidade e que tem uma filial no Leblon. Afinal, existe isso de se cobrar por visita? “Visitamos com freqüência apartamentos de 7 a 70 milhões de reais. Inclusive temos uma cobertura de 100 milhões de reais com 800m2 com 50m de frente para a praia de Ipanema. Não cobramos nada pela visita. Temos experiência e fazemos a análise suficiente pra levar no imóvel apenas clientes interessados. Pode ser que este proprietário não tenha a mesma expertise e tenha ficado de saco cheio de ter seu imóvel visitado por curiosos. Mas, pra falar a verdade, nunca vi isso, vocês têm certeza que não é boato?”, disse o Diretor Regional da empresa Anderson Martins, antes de ver o vídeo que circula na velocidade da luz pelos grupos de corretores.

Se estiver dando certo, vai ser a primeira vez que um apartamento dá dinheiro sem ser alugado nem vendido. Quem sabe isso dá certo no Leblon?

Advertisement

15 COMENTÁRIOS

  1. O sujeito põe o apartamento dele a venda, não contrata corretor, e aí aparece um site de corretor dizendo que o apto dele vale bem menos do que ele pede…. é isso mesmo ou entendi errado?

  2. kkkkkkkkkkkk Mano o que passa na cabeça de um cidadão desses? O que passa na cabeça de alguém de pagar 2.000,00 para VISITAR esse apartamento? 2.000 é uma diária em quarto frente mar no Fasano Ipanema ou Windsor Marapendi. Surreal a ideia desse prop

  3. Pelo bom gosto e os quadros caros que decoram as paredes, o proprietário demonstra saber ganhar dinheiro, faturar positivo e um dos tópicos é não perder tempo para quem não tem como pensar em adquirir tal imóvel. O escritório deve ser na praia e depois relaxar na jacuzi poderosa. Kkkkk Inveja só faz mal a quem tem. Vou tomar meu antídoto kkkkkk

  4. 11 milhoes nesse lixo? ahahahahahahahahahaha com essa grana faz uma casa zilhoes de vzs maior e mais bonita na barra da tijuca…tem que ser muito idiota pagar 11M nisso…

    • Posso morar no seu?!? Tem vários flagelados aqui do Largo do Machado para acompanhar… Deve caber mais gente, então, não está cumprindo com a finalidade social! Qual endereço, por gentileza?!? Mente pequena…

  5. Assim até eu. Já está querendo receber o dinheiro só em visitas, sem ter vendido o apartamento. Assim é mole. Nunca vi uma coisa dessas. Impressionante.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui