Fachada do Faenza Pizza & Grill na Barra da Tijuca - Foto: Reprodução

Um dos estabelecimentos gastronômicos mais tradicionais da Zona Oeste do Rio de Janeiro, o Faenza Pizza & Grill, localizado na Avenida Armando Lombardi, na Barra da Tijuca, está encerrando suas atividades após longos anos de sucesso na região.

A informação foi apurada em primeira mão pelo DIÁRIO DO RIO na tarde deste domingo (07) com Sérgio da Costa Araújo, empresário responsável pelo restaurante, durante protesto organizado por comerciantes e trabalhadores do setor de gastronomia em geral na orla do Leblon e Ipanema, Zona Sul da capital fluminense.

”Estamos aqui na manifestação pois queremos trabalhar. Inclusive, vou até dar uma notícia em primeira mão: o Faenza da Barra não vai mais funcionar, pois não temos mais condições de permanecer abertos. Infelizmente, não temos como pagar os funcionários, aluguel, luz, pois é tudo uma fortuna”, disse Sérgio com exclusividade à reportagem.

Sérgio da Costa Araújo, dono do Faenza Barra – Foto: Cleomir Tavares/Diário do Rio

Paralelamente, o empresário opinou que o setor gastronômico, que, ao menos até a próxima quinta-feira (11), só pode funcionar até às 17h, por determinação de um decreto da Prefeitura do Rio que começou a valer na última sexta (05), não é o vilão da situação. Ele ressaltou ainda o número de desempregados que resultará o fechamento do Faenza Barra.

”Não somos os vilões. Têm coisas que aglomeram muito mais, como os meios de transporte, e acreditamos que essas medidas não são o caminho, pois estão criando um problema maior e não a solução. Só eu vou desempregar 40 pessoas diretamente, fora os indiretos, que são os fornecedores, prestadores de serviço. Fazer o que, né”, lamentou.

Manifestação de empresários e comerciantes na orla do Leblon e Ipanema neste domingo (07) – Foto: Cleomir Tavares/Diário do Rio

Por fim, Sérgio disse que um dos intuitos da manifestação é tentar mobilizar o prefeito Eduardo Paes sobre a situação do ramo: ”Estamos tentando fazer nossa parte aqui, e que o prefeito se mobilize com isso.”

9 COMENTÁRIOS

  1. Infeliz dos que torcem pela desgraça dos outros. Fechou tarde, como dito por um vizinho a respeito do fechamento do restaurante. Queria ver se você morasse numa comunidade ou o dono fosse um miliciano se vc teria coragem de dizer isso. Tenho certeza que ficaria quietinho, se acovardando, sem dúvida.

  2. Infeliz comentário, gente pobre de espírito e invejosa, quando um comercio fecha, muitas famílias deixam de ter seu sustento. Lamento pelo fechamento e pelos funcionários.

  3. Triste pelos funcionários. Mas feliz pelo fim do terrível barulho que o restaurante fazia na vizinhança, como uma coifa irregular sem manutenção apontada para os prédios dos fundos. Fiz diversas reclamações ao dono que nada fez. Consequência disso foi a antipatia da vizinhança que passou a boicotar o restaurante. Enfim, já vai tarde.

  4. A pizza custava uma fortuna irmão, com menos de 100 conto vc não comia uma pizza com coca de 2L. Quer o que? Não quis se adequar ao mercado de delivery e quer colocar a culpa na pandemia. Os preços eram altos até mesmo pro padrão aqui da Barra. Eles tentavam mostrar uma gastronomia diferenciada, mas de diferente mesmo só o preço kkkkkk

  5. Já estava mal das pernas bem antes da pandemia…era pizzaria, restaurante tb, bar de chope e tentou se transformar em boate como os bares vizinhos… estranhamente nunca vi os preços abaixarem, se adequar. Resultado taí! Fechou!

  6. Quer dizer que o próprio jornal faz a matéria e o próprio jornal vem comentar emitindo opinião política imparcial? Tomem vergonha na cara antes de criticar qualquer empresário. Só o Faenza deixará 40 famílias passando fome. Seu moleque! Se distanciamento funcionasse não estaríamos no segundo LOCKDOW porra. Sustenta nem a própria casa e vem querer criticar quem sustenta inúmeras famílias?! Vergonha alheia do pseudo jornalista.

    • Apenas fazendo uma justa correção. Minha resposta vai ao comentário abaixo, do Daniel. Tendo em vista que a figura do Jornal aparece ao lado de qualquer comentário passando a impressão de que o próprio jornal está comentando. Sugiro não colocarem a logo de vocês ao lado de opiniões de internautas.

  7. Não é o vilão (???)
    Ao contrário de alguns outro lugares e com raras excessões, deixaram lotar os estabelecimentos. Nem todos colocavam mesa sim, mesa não, cadeira sim, cadeira não.
    Sobre lotação no transporte público, justo essas condições, em parte, são resultado da volta maciça ao trabalho normal, sem estabelecimento de horários diferenciados para os setores que emprega, além do que os governos se acovardaram em exigir 100% da frota sob pena de encapação do serviço de volta para o Município e o Estado.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui