A subida de Wilson Witzel (PSC) pegou a quase todos de surpresa, eu esperava uma arrancada dele depois do debate, mas nunca chegar a mais de 40% dos votos no 1º turno. E não é a toa que esse meme está rodando a internet carioca:

Mas podemos comparar essa votação de Witzel, com uma história sobre a eleição de Clinton nos EUA em 1992:

Em 1991, o presidente dos Estados Unidos, George Bush, venceu a Guerra do Golfo e resgatou a autoestima dos americanos após a dolorosa derrota no Vietnã. Assim, era o favorito absoluto nas eleições de 1992 ao enfrentar o desconhecido governador de Arkansas, Bill Clinton. O marqueteiro de Clinton, James Carville, apostou que Bush não era invencível com o país em recessão e cunhou a frase que virou case de marketing eleitoral: “É a economia, estúpido!”

Bem, aqui no Rio a economia pode estar quebrada, mas esse não é nosso problema, o nosso problema “É a segurança, estúpido! E um pouco de ética também“. Não que Witzel tenha tido tempo para apresentar alguma proposta sobre esse tema, mas como ex-juiz federal, ex-fuzileiro e uma postura altiva nos debates, ele também foi o avatar deste tema.



Frases como: ‘Se estiver de fuzil na mão, é risco iminente e será abatido’, pode parecer para a esquerda ou os moderados, como um absurdo, que um candidato que diga isso não pode ser eleito. Mas quando se vive com medo, e que qualquer engarrafamento na Linha Amarela gere receio de ser um arrastão, ou seja, vivendo em uma verdadeira Guerra Civil, é música aos ouvidos.

E sem esquecer a questão da ética, se ela nas pesquisas parecia que não importaria ao carioca, acabou diminuindo drasticamente o tamanho do MDB do Rio na ALERJ, e também do MDB na Câmara, e deixou desempregado os filhos de Cabral, Picciani, Eduardo Cunha e Roberto Jefferson. Como Witzel é amigo do juiz Bretas, e um verdadeiro outsider da política, essa soma de fatores pode ter ajudado a encantar vários moradores do estado, e da capital, onde só não foi o mais votado no Jardim Botânico e em Laranjeiras.

Dois meses atrás tinha feito um vídeo perguntando exatamente isso, Paes se preocupa com a ética (veja abaixo)? Como ele não demonstrou essa preocupação, pode ter sido uma das razões de ter ficado tão atrás do desconhecido juiz.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui