Foto: Divulgação/Cristina Granato

A cantora carioca Telma Tavares tem um nome tão grande quanto o talento.

Telma, que inteira é Telma Regina Simas Guerra Tavares Dias, é uma cantora, compositora e instrumentista brasileira. Iniciou sua carreira artística como integrante do grupo feminino de samba ‘Elas por Elas’. Na época, Telma também se apresentava como cantora, instrumentista e atriz, no circuito universitário.

Conheci a Telma através da jornalista Eulália Figueiredo, uma amiga comum.  Eu escrevia para o ‘Jornal do Rádio’, e Eulália, que é assessora de imprensa da cantora, me convidou para uma apresentação da artista em 2000, no Teatro Rival, no centro do Rio de Janeiro.

A cantora se apresentava com o show ‘Ancestrais”, título inspirado na música ‘Samba para os ancestrais’ de Martinho da Vila e Rosinha de Valença. O espetáculo teve a direção musical de Tuca Alves e contou com a participação especial de Sérgio Ricardo.

Telma lançou seu primeiro CD ‘Telma Tavares’ pelo selo ‘Rádio MEC’  após quase 20 anos de carreira. 

Ao longo da carreira, Telma já dividiu o palco com grandes nomes da MPB, como Hermeto Paschoal, Beth Carvalho, Jorge Benjor, Alcione, Chico Buarque, Elba Ramalho, Alceu Valença e Zélia Duncan, entre outros.

Como compositora, Telma tem músicas gravadas com grandes estrelas da MPB – entre elas, oito composições gravadas por Alcione. Especialmente, no último disco da cantora maranhense, Telma participa com a música “Feito Traça”, dela e do Roque Ferreira, seu parceiro mais constante.

A cantora já se apresentou para o Rei Hassan, em Marrocos; com Pablo Milanês, em Cuba e gravou um disco de sambas de enredo, produzido por Roberto Menescal, direcionado para o mercado japonês.

Atuou em espetáculos como “Gonzaguinha na voz de Telma Tavares” e “Romântica saudade”, este último, em homenagem a Aracy Côrtes e Elis Regina.

Em 1999, apresentou-se, acompanhada pela Orquestra Sinfônica do Rio de Janeiro, em “A estória de João-Joana”, musical realizado no Teatro Municipal do Rio de Janeiro por ocasião da comemoração dos 50 anos de carreira de Sérgio Ricardo. 

Além de Sérgio Ricardo, o espetáculo contou também com a participação de Chico Buarque, Elba Ramalho, Alceu Valença e Zélia Duncan, tendo sido registrado em CD pelo selo Rádio MEC/Eldorado. 

Participou, ainda, do elenco de “Jerusalém”, musical escrito pelo compositor Altay Veloso; e, no último espetáculo do Círio de Nazaré, em 2020, Fafá de Belém abriu a live com a música “Manto Azul” – uma canção de alento aos que perderam seus entes queridos atingidos pela covid-19 -, escrita pela Telma Tavares.

Apresentou-se no Teatro III do Centro Cultural Banco do Brasil (RJ), a convite de Ricardo Cravo Albin para cantar ao lado de Johnny Alf no show “Da fossa à bossa”, terceiro segmento da coletânea de 4 espetáculos intitulada “MPB: A história de um século”.

Em 2002, lançou o CD “Telma Tavares”, com composições próprias – em parceria com Paulo César Feital – como “Babalobare”, “Pergunte ao Criador” e “Dois cardumes”. E ainda “Ser em Extinção” e “Perfume francês” (Telma); “O amor é assim” (Telma/Tainã); “Alta madrugada” (Telma/Delcio Carvalho); “Iabassê” (Telma/Roque Ferreira); “Vai vadiar” (Ratinho/ Monarco); “Quebradeira de coco” (Roque Ferreira); “Zelão” (Sérgio Ricardo); “Extra” (Gilberto Gil) e “Nova ilusão” (Claudionor Cruz/Pedro Caetano).

Atuou também como radialista, apresentando programas na Rádio Viva Rio e em 2001 recebeu o título de Cidadã Benemérita do Rio de Janeiro, por serviços prestados a comunidades carentes e em 2005, fez show na Sala Funarte Sidney Miller (RJ).

Lançou, em 2012, o CD “Veia mestiça”, com canções como “Corpo fechado”; “Beco sem saída”; “Chama de amor”; “A ronda da roda”; “Luz de aiucá” e “Agarradinho”, todas com Roque Ferreira. E ainda: “Juriti, flor e café” e “Tá escrito (Baralho Cigano)” (Telma/Tainã); “Tempero” (Telma/Délcio Carvalho); “Nair Grande – A Bambambã do Fuzuê” (Telma/Paulo César Feital) e “Carioca da gema” (Telma).

O disco contou ainda com a participação de Leci Brandão (na faixa “Carioca da gema”), Roque Ferreira (na faixa “A ronda da roda”) e Alcione (na faixa “Nair Grande”).

Na última segunda-feira (7/6) Telma fez aniversário. E ainda como parte das comemorações, a cantora lança nas principais plataformas de streaming,  nos próximos dias, o videoclipe do single, “Banda e Pandeiro”, sua mais recente composição, em parceria com Solange Boeke.

Parabéns, Telma!

Jornalista, cartunista, poeta e escritor carioca. É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG) e Diário do Rio (RJ) Autor do livro “Parem as Máquinas! - histórias de cartunistas e seus botecos”. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) dos romances "Sonhos são Azuis" e “Entre Sonhos e Girassóis”. É também autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty", publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ), desde 2003, e criador e editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!"

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui