Foto: Divulgação

O jornalista Nelson Motta escreveu uma crônica (Ciladas Temáticas) em seu livro “Nova York é Aqui”, metendo o pau nos bares temáticos novaiorquinos.

“Evite energicamente, se preciso com o uso de força, idas ao ‘Planet Hollywood’, ‘Hard Rock Café’, ‘Motown Café’, ‘Fashion Café’, ‘All Star Café’ e o ‘Mambo Kings Café’: os chamados restaurantes temáticos, qualquer que seja o tema ou a comida, são um must not” – escreveu ele.

No Rio de Janeiro, no entanto, os bares temáticos – especialmente os com nomes de sambistas famosos – como o ‘Bar da Alcione’ e o ‘Bar do Zeca Pagodinho’, são locais onde você pode curtir, em clima de roda de pagode, coisas do mundo do samba, e comer muito bem.

Qualquer um dos dois, são boas opções.

Fui, no feriado de 7 de Setembro, conhecer o ‘Bar do Zeca Pagodinho’, na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca. Trata-se de um bar com clima bem informal, com mesas ao ar livre e dois palcos onde toda decoração homenageia o sambista e a memória do samba carioca. A informalidade é, com certeza, a marca registrada da casa.

Criado em homenagem a um dos artistas que mais personifica o boêmio e o espírito carioca, o ‘Bar do Zeca Pagodinho’ tem como proposta oferecer boa música, boa comida, cerveja gelada e muita música e alegria.

A organização da casa investiu na comida de boteco, feita por Toninho do Momo, chef do ‘Bar do Momo’ – um dos botecos tijucanos mais tradicionais do Rio. No cardápio, os preferidos são os bolinhos de arroz, as coxinhas de galinha e caranguejo, as empadas de rabada e camarão e os caldinhos de mocotó e de feijão.

A localização é perfeita. Instalado dentro do sofisticado shopping Vogue Square e anexo ao Vogue Square Fashion, um hotel elegante onde, em tempos de Lei Seca, você pode pernoitar – como nós fizemos – se beber muito no show, que só termina de madrugada.

O bar – com mais de mil metros quadrados e arquitetura assinada por João Uchôa – é uma iniciativa do empresário Paulo Pacheco que exalta o cantor e compositor Zeca Pagodinho e o samba carioca, patrimônio cultural do país.

Pelas paredes da casa, em fotos, você pode acompanhar a vida e a trajetória do sambista. O palco externo, decorado com as cores da Portela, escola de coração do sambista, ajuda a dar ao lugar um clima de subúrbio carioca.

Entre as atrações da casa, estão as esculturas do próprio Zeca Pagodinho, de São Jorge e de São Cosme e São Damião. A escultura do sambista, sentado em uma cadeira, na recepção, atrai os frequentadores que se sentam à mesa para fazer uma foto com o ‘Zeca’.

Ou seja, o ‘Bar do Zeca’ é o quintal do sambista, na Barra.

Jornalista, cartunista, poeta e escritor carioca. É colunista dos jornais O Dia (RJ) e O Folha de Minas (MG) e Diário do Rio (RJ) Autor do livro “Parem as Máquinas! - histórias de cartunistas e seus botecos”. Co-autor (junto com Sheila Ferreira) dos romances "Sonhos são Azuis" e “Entre Sonhos e Girassóis”. É também autor da tira de humor ácido "Patty & Fatty", publicadas nos jornais "Expresso" (RJ) e "O Municipal" (RJ), desde 2003, e criador e editor dos jornais de humor "Cartoon" e "Hic!"

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui