Diário do Rio tem 11 anos de existência e em todos estes anos sempre tomou a posição política que acredita ser a melhor para o Rio de Janeiro. Nunca nos negamos e nem cedemos a qualquer tipo de pressão ou receio de perder leitores ou mesmo anunciantes devido a essas posições e não vai ser e nem foi diferente no 2º turno das eleições para governador do Rio em 2018.



Escolhemos para governador Eduardo Paes

Escolhemos para governador Eduardo Paes (DEM). Durante os 8 anos de governo dele, fomos fortes críticos e em nenhum momento demos paz a ele. Enquanto toda a imprensa aplaudia, nós mostrávamos os seus defeitos, problemas e erros. Claro, que cometemos deslizes, fomos contra a derrubada da Perimetral, que mostrou ser um acerto de sua gestão. Mas acertamos em condenar que o seu grupo lançasse Pedro Paulo à Prefeitura.

E como crítico ao ex-prefeito do Rio, tenho todos os motivos para não votar nele, mas apenas 1 para votar, e é o suficiente. Eduardo Paes é o mais capaz para tirar o Rio de Janeiro da crise, seja pela sua experiência administrativa, seja pela sua capacidade de diálogo e por poder trabalhar junto da nova ALERJ, da Câmara Federal e do futuro presidente, com conhecimento de causa.

A cidade do Rio paga hoje a total falta de experiência administrativa de Marcelo Crivella (o qual apoiamos no 2º turno, mas o outro candidato era o Freixo, tão inexperiente quanto). E Wilson Witzel (PSC) mostra até uma inexperiência maior que de Crivella, que ao menos tinha uma vida política anterior e já tinha sido até ministro.

Os poucos dias da campanha do 2º turno jogou um pouco de luz sobre Witzel e mostrou que a questão ética não lhe importa tanto. Em nenhum momento dá para compará-lo com Bretas ou Moro, ou mesmo Denise Frossard. Os 2 primeiros lutam contra o crime organizado da política, Frossard lutou contra o Jogo do Bicho que na época mandava e desmandava no Rio de Janeiro. Já Wilson Witzel fugiu do Espírito Santo ao se deparar com um julgamento difícil.

Para governar o Rio entre 2019 e 2023 vai ser preciso coragem, determinação e competência. Paes, apesar dos seus muito defeitos, mostrou ter isso tudo. O ex-juiz, bem, esse não mostrou as qualidades necessárias. Longe disso..

Escolhemos para presidente Jair Bolsonaro

Como Paes, Jair Bolsonaro (PSL) também tem uma montanha de defeitos, o acho uma falastrão, mas tem uma enorme qualidade que se torna obrigatório o voto nele, ele não é do PT, só isso já bastaria. Mas ao contrário que diz a boa parte da imprensa, ele não vai fazer uma ditadura, nem é anti-democrático, afinal, ao contrário do PT, não diz que os juízes da Lava Jato, do STJ e do STF fazem parte de uma grande conspiração para tirar o partido do poder.

Bolsonaro também não irá trazer de volta a tortura nos porões militares, temos uma sociedade civil formada, um Congresso atuante e uma imprensa livre e que só quer ser mais livre. E para mim isso basta para votar nele no dia 28.

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui