O infame Eduardo Cunha, preso desde outubro de 2016, conseguiu que a Justiça Federal de Curitiba substituísse a sua prisão preventiva por prisão domiciliar devido à pandemia do coronavírus.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

O ex-deputado, que tem 61 anos, está internado com um quadro de anemia e sua saída vai ocorrer quando os médicos que o acompanham entendam possível sua alta médica.

Cunha terá que usar tornozeleira eletrônica. A medida tem validade até enquanto durar a pandemia ou se seu estado de saúde justificar essa necessidade.

A decisão segue resolução do Conselho Nacional de Justiça que determinou a revisão de prisões diante da pandemia. Outros presos da Lava Jato já foram beneficiados, como Dario Messer, considerado o doleiro dos doleiros.

Considerando a excepcional situação de pandemia do vírus COVID- 19, por se tratar o requerente de pessoa mais vulnerável ao risco de contaminação, considerando sua idade e seu frágil estado de saúde, substituo, por ora, a prisão preventiva de Eduardo Consentino da Cunha por prisão domiciliar, sob monitoração eletrônica”, escreveu a juíza Gabriela HardtA magistrada afirma ainda que a prisão preventiva de Cunha se justifica porque “não houve até o presente momento, mais de três anos depois de cumprido o decreto prisional, a identificação de todos os valores desviados que são relacionados a Eduardo Cunha”.

O monitoramento eletrônico, muito embora não afaste por completo a possibilidade de que este pratique atos de dissimulação e ocultação de valores ilícitos ainda não identificados no exterior, inviabiliza ou ao menos dificulta a possibilidade de fuga”, escreveu a juíza.

1 COMENTÁRIO

  1. Se o ladrão-mor pode ele também pode. Aliás, passou da hora de soltar todos os ladrões, afinal, o assalto, segundo a Márcia Tiburi, tem lógica.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui