Projeto do Autódromo de Deodoro - Foto: Reprodução/Internet

Nesta terça-feira (05/01), o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou que a construção do autódromo de Deodoro, na Zona Oeste, não vai para frente devido ao grande impacto ambiental que seria gerado. Em entrevista à BandNews, Paes afirmou que a Prefeitura vai estudar outros locais para realizar a obra.

A nova gestão é a favor de um novo autódromo, mas que esteja localizado em outras áreas do Rio, que não causem tanto impacto ambiental. Segundo Paes, há outras opções, entre elas uma área em Guaratiba, na Zona Oeste.

O projeto original, que prevê a derrubada de grande parte da Floresta do Camboatá, em Deodoro, teve a licença ambiental contestada pelo Inea no final de outubro. A Procuradoria do Instituto, porém, solicitou aos técnicos que façam mais estudos para avaliar os impactos.

A Floresta do Camboatá, conforme estudo realizado por técnicos do Jardim Botânico do Rio, é a última grande área plana de Mata Atlântica na cidade, reunindo cerca de 200 mil árvores.

A jurista e professora, especialista em questões ambientais, Sônia Rabello debateu a polêmica obra do Autódromo de Deodoro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui