A situação, felizmente, não anda boa para os políticos cariocas, é Romário denunciado porque teria recebido R$ 100 mil da Odebrecht, Jandira Feghali em delação de Sergio Machado, Sergio Cabral que pediria 5% de propina nas obras do estado, não é a toa que só o Rio terá uma “filial” da Lava Jato. Pois agora a situação anda ruim para o lado do prefeito Eduardo Paes e não é só porque a pré candidatura Pedro Paulo é uma sequência de erros.

De acordo com Lauro Jardim/O Globo as delações da Odebrecht e da OAS vão detalhar as contribuições que dizem ter feito para um suposto caixa dois das campanhas de Paes à Prefeitura.

Claro, Paes nega:

“O prefeito Eduardo Paes afirma que todas as doações às suas campanhas eleitorais – sejam aquelas feitas diretamente a ele ou via diretórios municipal, estadual e nacional do seu partido – ocorreram de forma oficial e legal e foram declaradas à Justiça Eleitoral. Paes ressalta que as contas de campanha foram devidamente aprovadas pela Justiça Eleitoral”.

Se em março ele era um político em desespero, imagine com a possibilidade destas delações? E pensar que era dado quase como certo fazer seu sucessor e ser governado do estado, quem sabe, até presidente.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui