Eduardo Paes Pelo jeito em breve o prefeito Eduardo Paes vai ganhar algum apelido graças a sua sanha sobre o bolso do cidadão carioca. Se não bastasse o projeto de lei para criar uma absurda taxa de luz, a nova é o aumento de burocracia para fazer com quem tem seu carro rebocado pagar mais.

 

Nada tenho contra multas, acho que é culpa de quem é multado que age como se não houvesse leis para eles, as vezes parece que as leis de trânsito no Rio de Janeiro só seriam respeitadas se houvesse um guarda de trânsito em cada sinal. Mas criar dificuldades para que se possa arrecadar mais?

Em menos de 9 meses Paes não apresentou nada, o tal do Choque de Ordem é midiático. Perto de minha casa tiraram uma barraca, na semana seguinte instalaram-se duas… vou falar mais sobre isso em breve.

 

Sua gestão será marcada pela criação de novas taxas se continuar assim. Veja abaixo o post de Miriam Leitão sobre o aumento da burocracia feita por Eduardo Paes.

Eduardo Paes aumenta burocracia para arrecadar mais

Em plena era da internet e das soluções em tempo real, a administração Eduardo Paes aumentou a burocracia na Prefeitura do Rio para arrecadar mais. A informação foi dada pelos próprios servidores, ligados à Secretaria de Ordem Pública.

 

O motorista que possui um carro rebocado é obrigado pela Prefeitura do Rio a pagar diárias que vão de R$ 20,22 (motocicletas) a R$ 199,98 (ônibus, caminhões e similares) pelo tempo em que o carro não é retirado do depósito. Ou seja, quando maior o tempo dos veículos no pátio, mais dinheiro entra para os cofres da prefeitura.

 

Ainda de acordo com informações de servidores, a gestão Eduardo Paes trocou o tipo de boleto para o pagamento, eliminando o código de barras que possibilitava o pagamento em casa lotéricas. Agora, usa-se um boleto comum, desses que se compra em papelaria, que só pode ser pago na boca do caixa e em horário de funcionamento dos bancos (que é reduzido). Com isso, os carros passam mais tempo nos pátios pagando mais diárias.

 

Ao mesmo tempo em que tenta promover um choque de ordem na cidade, a Prefeitura não consegue colocar em ordem as informações que passa ao público. Seu site (vejam aqui) diz que o pagamento pode ser feito em Casas Lotéricas, informação negada pelos servidores que disseram que esse site está desatualizado. Além disso, o telefone de informações ao público (21) 3293-1700 não funciona.

Como mostrou reportagem desta sexta-feira da jornalista Carla Rocha, do Globo, esse tipo de cobrança está sendo questionada na Justiça. As decisões proferidas até agora apontam que a Prefeitura pode apenas cobrar multas referentes à infração.

 

O blog solicitou por e-mail as seguintes informações à assessoria de imprensa da Prefeitura do Rio: Qual a receita das diárias de reboque (incluindo todos os tipos de veículos) no 1º semestre de 2009? Qual a mesma receita em anos anteriores? Quantos veículos foram rebocados de janeiro a julho deste ano? Quantos pagaram diária por pernoitar no estacionamento da Prefeitura? Por que o boleto para a retirada do veículo não permite o pagamento com código de barras, como era na gestão Cesar Maia? Quando isso foi alterado? O site da Prefeitura diz que pode ser pago em casas lotéricas, mas a informação passada na Rua das Andradas, 92, é que não pode. Como explicar isso? O telefone de informações ao público (21) 3293-1700 não funciona desde pelo menos quarta-feira. Por qual motivo?

 

Vamos ver em quanto eles retornarão e quais explicações têm a dar.

 

E vocês, leitores, têm visto aumento de burocracia na gestão pública?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui