Foto: Reprodução/Internet

De 1 ano para cá, o efetivo do Programa Lixo Zero, pertencente à Prefeitura do Rio de Janeiro, foi reduzido para menos da metade. O número de agentes fiscalizadores responsáveis por multar quem joga lixo nas ruas diminuiu de 230 para 112.

Consequentemente, o volume de notificações também caiu. Segundo informações do jornalista Edimilson Ávila, do Grupo Globo, no ano passado, 87.627 multas foram aplicadas. Já em 2019, ‘apenas’ 37.092.

O Programa Lixo Zero foi criado em agosto de 2013, com o intuito de reprimir o mau comportamento dos cidadãos que deixam seu lixo espalhado pela cidade.

Algumas pessoas falaram sobre a presença ou não de fiscais do Lixo Zero na cidade.

”Às vezes, até pego copo no chão. Quando alguém vai na minha frente e joga, eu pego. Vejo sim, o povo não tem educação não”, conta a doméstica Jacira Miranda.

”No começo tinha, mas agora não vejo os garotos aqui. É raro, só se tiver distanciado por aqui, por aqui não”, complementa a técnica de enfermagem Iracema Melo.

”Eu nunca vi, eu ando muito em Copacabana e eu nunca vi ninguém. Eu só vejo as pessoas jogando lixo, né? A pessoa come e joga o lixo, não se dá o trabalho de andar e jogar na lixeira ou andar com um saquinho”, revela a manicure Ivanil Martins.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui