Operação em Irajá, salva 33 cães e diversos animais silvestres de maus-tratos / Divulgação: Prefeitura

Uma ação conjunta empreendida  entre a SecretariaDefesa dos Animais da Prefeitura do Rio (SMPDA)¸ a Secretaria Municipal de Proteção, e o Comando de Polícia Ambiental (CPAm) da Polícia Militar, nesta segunda-feira (8/02), em Irajá, na Zona Norte do Rio de Janeiro, verificou a um série de maus-tratos cometidos contra cães e pássaros. A patrulha foi realizada após denúncia verificada procedente pela equipe de fiscalização da SMPDA, que acionou o policiamento ambiental.

Em uma residência do bairro, foram encontrados 33 cães submetidos a maus-tratos, a má alimentação e em condições insalubres. Também foram encontrados dezenas de animais silvestres. O proprietário da residência foi conduzido à delegacia da área em flagrante. Ele pode ser o primeiro infrator, na cidade do Rio, a ser penalizado pela Lei Sansão (14.064/2020).

O titular da Secretaria de Proteção aos Animais, Vinicius Cordeiro, (Avante), ressaltou que o poder público municipal tem intensificado as ações de combate aos maus-tratos contra animais, bem como contra o tráfico de animais silvestres. Segundo Cordeiro, a secretaria já realizou, em janeiro, 169 atendimentos por meio de denúncias da população através do 1746.

Para o secretário Marcelo Queiroz (PP) a parceria com a SMPDA é importantíssima, não só para coibir maus-tratos, como também crime ambiental.

Estabelecer parcerias são fundamentais para darmos respostas rápidas e eficientes no combate aos maus-tratos aos animais. O Secretário Vinicius é um grande parceiro. A nossa equipe RJPET segue 24 horas atuando para que mais ações de sucesso como esta aconteçam”, disse Marcelo.

O pitbull Sansão, de 2 anos, que teve as patas traseiras cruelmente decepadas / Reprodução: Internet

Lei Sansão

A Lei 14.064, também conhecida por Lei Sansão, aumenta a pena para quem maltratar cães e gatos. A Lei foi sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Com a aprovação da Lei, a prática de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação de animais de estimação será punida com prisão de dois a cinco anos, além de multa e proibição de guarda.

Caso Sansão

Em 6 de janeiro de 2020, o pitbull Sansão, de 2 anos, teve as duas patas traseiras decepadas no bairro Capim Seco, em Confins, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Dois homens, que eram vizinhos à empresa onde o cão ficava, foram responsáveis pelo bárbaro crime. Sansão ficou sob os cuidados da veterinária Ticiana Lima Dornas, na clínica-escola da Faculdade Arnaldo, no bairro Olhos D’Água, na Região Oeste da capital mineira, tendo recebido uma doação de uma cadeira de rodas especialmente produzida para cães deficientes.

1 COMENTÁRIO

  1. Partam para cima destes bandidos cruéis, que só pesam neste planeta!
    Tristeza, me sinto triste. Acho que foi UM.erro a criação de gente na terra!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui