Edição 2017 da Bienal do Livro Rio - Foto: Reprodução/Internet

Entre os dias 3 e 12 de dezembro, será realizada a Bienal do Livro Rio, no Riocentro, na Barra da Tijuca. De forma híbrida, a 20ª edição da feira será adaptada ao momento atual, aderindo aos protocolos sanitários para que o evento possa ocorrer com segurança.

Na edição deste ano, a novidade é a criação de um coletivo curador, responsável por desenhar uma programação comprometida com a diversidade e voltada para todos os públicos. Integram este grupo a cineasta, produtora e diretora Rosane Svartman; a escritora e cineasta Letícia Pires; a escritora, jornalista e atriz Bianca Ramoneda; o jornalista Edu Carvalho; a escritora, jornalista e apresentadora Ana Paula Lisboa; o ator, roteirista, dramaturgo e escritor Felipe Cabral; a escritora e diretora Claudia Sardinha; o escritor e diretor Julio Ludemir, a jornalista Fátima Sá; a pesquisadora e consultora artística Raphaela Leite; e a escritora, roteirista e jornalista Eliana Alves Cruz.

Para discutir o que as pessoas têm vivido em tempos desafiadores e com um cenário tão polarizado, a Bienal pretende valorizar o poder transformador da escuta e traz uma provocação: “Que histórias a gente precisa contar agora?”. Para apoiar na construção dessas novas narrativas, o festival lança nesta edição a Estação Plural, espaço que vai reunir autores, artistas e formadores de opinião que transitam no ecossistema literário para debater com o público as diferentes perspectivas sobre “quem éramos, quem somos, e o que vamos ser daqui para frente neste novo horizonte que nos aguarda”. Todos esses painéis serão transmitidos ao vivo no site da Bienal.

O coletivo curador foi idealizado para permitir que o conteúdo, a programação da Bienal, sempre atual e representativa, seja pensada por todas as perspectivas, para todos os públicos. E a criação da Estação Plural surge alinhada com esse novo momento da curadoria, para enriquecer nossos olhares, trocas de conhecimento e nos desafiar através da cultura e da imaginação”, explica Tatiana Zaccaro, diretora da GL events, responsável pela Bienal.

Protocolos sanitários

O evento vai se apropriar de uma área total de 100.000m² no Riocentro, com metade do espaço de área livre, seguindo os protocolos definidos pelas autoridades competentes:

  • Para o acesso à Bienal, será necessária a apresentação do comprovante de vacinação para os maiores de 12 anos;
  • As vendas dos ingressos serão exclusivamente online;
  • Distanciamento obrigatório entre os visitantes: as ‘avenidas’ ficaram mais largas e foi ampliado o espaçamento entre os estandes;
  • O uso uso máscaras é obrigatório;
  • Totens com álcool em gel estarão disponíveis em todo o espaço;
  • A Bienal receberá 50% da sua capacidade em dez dias, e o público será dividido em turnos, com limite de vendas de ingressos por período.

Bienal 360°

Todas as sessões deste ano serão transmitidas pela plataforma Bienal 360°, um hub de conteúdo diário hospedado no site do evento. Lançada em janeiro de 2021, a plataforma visa ampliar o alcance do conhecimento gerado na Bienal.

Além disso, em parceria com o Submarino, e-commerce oficial da plataforma, é possível comprar livros e encontrar os grandes lançamentos do mercado. Este novo formato surgiu com o Canal Bienal, permitindo que o público pudesse assistir na íntegra todos os painéis da última edição do evento, em 2019. A Bienal também promoveu o Festival Conexões, cujo conteúdo se encontra disponível na plataforma. A partir de agora, todas as próximas edições seguirão neste modelo, online e offline.

1 COMENTÁRIO

  1. Ironia o ex prefeito ter mandado fiscais da prefeitura confiscarem livros na edição passada, depois esse mesmo prefeito ter sido preso e hoje usar tornozeleira eletrônica dentro de casa.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui