Zona Portuária do Rio de Janeiro - Foto: Reprodução/Internet

Segundo projeções da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), a economia fluminense, em pleno estágio de recuperação, passará, em 2020, por um processo de consolidação, com o crescimento de 2,1% do Produtor Interno Bruto (PIB). O setor de Petróleo e Gás é o principal responsável pela retomada. A informação foi divulgada primeiramente pelo portal ”Diário do Porto”.

O relatório diz que a indústria extrativa terá uma expansão de 2,9%. Depois disso, o crescimento deverá acontecer na indústria de transformação, com cerca de 1,8%, o que significa um aumento relevante, pois em 2019 houve uma queda de 0,9%.

De acordo com o gerente de Estudos Econômicos da Firjan, Jonathas Goulart, por tradição, as atividades no Rio eram estimuladas pelos setores públicos, através do aumento dos gastos governamentais ou de desoneração dos tributos. Desta vez, porém, não há possibilidade orçamentária para isso acontecer.

”Isso faz com que a recuperação seja mais consistente, o que é positivo, porém com um ritmo mais lento, porque a iniciativa privada precisa entender o direcionamento da economia para realizar, de fato, os investimentos planejados. Esse cenário é semelhante ao que a Europa viveu após a crise de 2008, que levou os países do continente para uma grave situação fiscal”, diz Jonathas.

Ainda segundo Goulart, os bens manufaturados provavelmente enfrentarão queda nas exportações para a América Latina, principalmente para a Argentina. Em contrapartida, as expectativas são boas para a cadeia de Óleo e Gás e para a indústria de transformação que faz exportação para outros estados do Brasil.

Outro fator de destaque engloba a Construção Civil. Em 2019, o setor deu início a um processo de recuperação, que também irá se consolidar em 2020. Com isso, encerra-se um ciclo negativo ocorrido entre 2015 e 2018.

4 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui