Emicida no Rock in Rio 2019 - Foto: Wesley Allen - I Hate Flash

Misture Rap, MBP, R&B, percussões latinas, DJ e muito protesto. Esta foi a receita de sucesso que consagrou a apresentação do rapper Emicida e da dupla de música franco-cubano formada pelas gêmeas Lisa-kiandé e Naomi Diaz, o Ibeyi.

O show, que ocorreu no Palco Sunset, foi marcado por muitas batidas de hip-hop, mescladas com ritmos caribenhos. Claro que estiveram presentes no set do artista, músicas como “passarinhos” Levanta e anda” e “A chapa é quente”, O duo, que tem sangue latino correndo nas veias, também brindou o público com o single “Hacia El Amor”, parceria lançada pelo rapper e pelas cantoras no ano passado. Emicida ainda cantou o hit “Sujeito de Sorte”, sucesso imortalizado na voz de Belchior.

Ao longo da apresentação, as artes exibidas nos telão mostravam dados estatísticos sobre assassinatos de negros e LGBT’S e de violência contra as mulheres. Inclusive, um dos pontos altos do espetáculo foi o momento em que a foto da menina Ágatha Vitoria, morta no último dia 21/09 durante uma ação policial no Complexo do Alemão.

Além disso, imagens de personalidades negras nacionais e internacionais, alguma já falecidas, como a da ex-vereadora Marielle Franco, também marcaram presença no show de imagens que rolava para o público.

No fim, Emicida se despediu do público pedindo liberdade para o DJ Rennan da Penha, preso desde início do ano, acusado de associação ao tráfico.

Emicida entregou um show de rap como sempre deve ser, com critica social, e, mais uma vez, prova que está entre os principais nomes não só hip-hop, mas, também, da música brasileira no geral.

4 guitarrinhas para o show do Emicida e Ibeyi

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui