Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro - Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

Nesta quinta-feira (14/10), a Light cortou a luz de 66 prédios da Prefeitura do Rio. Segundo a empresa, o corte foi realizado devido a uma inadimplência de mais de R$ 261 milhões.

Nas redes sociais, o prefeito Eduardo Paes comentou, chamando a empresa de “vagabunda”:

A Light é uma empresa vagabunda. Passaram anos aliviando a barra do governo anterior. Agora querem receber na base do lobby e da chantagem. Eles terão as mesmas condições de recebimento de todos os fornecedores que têm crédito conosco! Não adianta nem forçar! Não passarão”, escreveu.

Na sequência, após a empresa responder com uma mensagem automática, pedindo para que ele enviasse mais detalhes do problema por DM, Paes respondeu: “Será que eu respondo por DM? As regras de Integridade da prefeitura não me permitem. Vai ser por aqui mesmo! Bem aberto!”.

Durante a divulgação do 41° boletim epidemiológico da Covid-19, o prefeito novamente falou sobre a Light e chamou, pela segunda vez, a empresa de “vagabunda” e reafirmou que a empresa tentou fazer lobby e chantagem.

Em nota, a Light afirmou que “suspendeu, por inadimplência, o fornecimento de energia de 66 unidades administrativas da Prefeitura do Rio de Janeiro. A dívida total da administração municipal com a companhia é de mais de R$ 261 milhões. Deste montante, R$ 68 milhões são referentes à este ano de 2021. Os cortes foram feitos apenas em instalações cadastradas na empresa como serviços não essenciais. Unidades de saúde não foram cortadas”.

No texto, a Light diz ainda que realizou diversas tentativas de acordo com a Prefeitura para regularizar os débitos e notificou o órgão previamente com aviso de corte, como determina a legislação.

Antes das declarações de Paes, a Secretaria Municipal de Fazenda afirmou ao portal de notícias “G1” que “as contas da Light de 2021 estão em dia, salvo algumas da Saúde, em fase final de liquidação”.

É bom lembrar que os valores ainda em aberto estão previstos no orçamento, e a empresa sabe disso. Portanto, a iniciativa da Light não trata de débitos de 2021, e sim dos passivos acumulados pela gestão anterior, que não são pequenos. Para estes, após uma longa e minuciosa auditoria — já em fase final —, será feito um parcelamento anual, seguindo rigorosamente critérios determinados em lei municipal, de forma isonômica, institucional e transparente, para todos os credores, sem exceções e sem furar fila”, disse.

7 COMENTÁRIOS

  1. Governo sem honra! Quem tem dívidas tem que pagar. Mal recebeu o dinheiro da CEDAE e já está fazendo planos pra gastar tudo em parques e assistencialismo (vide programa RioFuturo).

    PAGUE AS DÍVIDAS, especialmente aquelas que o Sr. Paes Palho deixou no governo 2016. Só de VLT Carioca são mais de R$ 300 milhões

  2. Paes fazendo papel de palhaço, além de se achar o legítimo malandro carioca! Não pagou pelo serviço e a empresa é que é vagabunda? Típica mentalidade do cliente que não tem razão, mas arma o maior barraco.

  3. É muito engraçado esse “Nervosinho” falar essas coisas, as dívidas dos “governos anteriores” incluem ele mesmo, pois antes do bispo ele foi prefeito duas vezes e deixou a prefeitura quebrada, em verdade no finalzinho do último governo criou uma matrícula fantasma para apagar todos os empenhos (reserva de dinheiro para pagar as dívidas contratadas) “zerando” o passivo instantaneamente (milagre!!!!!!!), foi assim q ele passou a prefeitura no azul, como um grande administrador que é. Até hoje ninguém foi punido, ficou por isso mesmo. Vai um cidadão normal deixar de pagar a conta de luz e dizer para empresa: olhem, vcs estão na fila pra receber, tenham paciência e não queiram furar a fila! Enquanto isso centenas e centenas de aspones estão sendo nomeados, o DO Rio está cheio, dinheiro sobrando pra pagar salários, gratificações, encargos…Tudo retroativo!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui