Entidades ligadas ao Turismo e MPRJ se reúnem para discutir medidas de segurança para o Rio

Arrastões na orla e desordem urbana em pontos turísticos são altamente perniciosas para a cidade e para a retomada das atividades do segmento

MPRJ e representantes do Setor turístico se reúnem para discutir medidas de segurança para a cidade / Divulgação

A retomada do setor de turístico do Rio de Janeiro, no período pós-pandemia, tem sido gradual mas relativamente satisfatória, segundo profissionais que atual no segmento. Mas a cidade ainda enfrenta sérios problemas na área de Segurança Pública, fato que impacta de forma negativa o cotidiano dos cidadãos, além de causar uma péssima impressão em quem visita o munícipio.

Com o objetivo de acelerar a retomada do turismo na cidade, o presidente do Sindicato de Hotéis e Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro (Hotéis Rio), Alfredo Lopes, reuniu-se, na última semana, com o procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, para discutir estratégias que aumentem a segurança nas praias e nos principais pontos turísticos do Rio. No encontro, Alfredo Lopes argumentou que, após meses fechados por causa da pandemia, os hotéis precisam de apoio para que retomem os níveis de ocupação de março de 2022. O coordenador-geral de Segurança Pública do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), Reinado Lomba; e a superintendente do Hotéis Rio, Theresa Jansen, também participaram da reunião. As informações são do jornal O DIA.

Ao procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos. Alfredo Lopes afirmou que o MPRJ é a instituição mais capacitada para reunir outras entidade públicas para elaborar “uma estratégia de ação coordenada e contínua, que não seja desmontada a cada governo”. Ainda segundo Lopes, é primordial evitar que ações, como arrastões na orla e desordem urbana voltem ocorrer na cidade.   

Com o arrefecimento da pandemia de Covid-19, segundo o Painel Rio Covid, as entidades ligadas ao turismo esperam que o setor seja apoiado em sua retomada. Mas a elaboração de um planejamento de medidas de proteção aos pontos turísticos da cidade se faz urgente.

Diante disso, o MPRJ realizará um estudo estratégico interno para analisar as demandas de Segurança Pública, especialmente em dias de maior fluxo de visitantes nas áreas turísticas. O MPRJ pretende chamar as polícias Civil e Militar, Prefeitura, Estado e outras instituições que tenham algum tipo de impacto nos espaços turísticos, para elaborar medidas de longa duração, que possibilitem aos visitantes desfrutar das belezas da cidade com tranquilidade e segurança.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui