Por falta de pagamento dos vigilantes terceirizados, as escolas e unidades de saúde do município do Rio de Janeiro poderão ficar sem proteção. Os profissionais ameaçam entrar em greve nos próximos dias, segundo o Sindicato dos Vigilantes do Rio de Janeiro (Sindvig-Rio). Os trabalhadores que estão vinculados a empresa Guard Angel, que presta serviços para a área da educação, e a AlfaSegHawk, para a área da saúde, estão com os salários atrasados há meses.

Os 550 vigilantes da AlfaSeg Hawk estão sem receber salários há 4 meses. Já os 250 trabalhadores da Guard Angel estão com os salários atrasados há dois meses. Os atrasos são resultado da falta de repasse por parte da Prefeitura do Rio.

No final de semana, representantes do Sindvig-Rio se reuniram com o prefeito Eduardo Paes (DEM) para negociar o pagamento dos profissionais, que enfrentam problemas desde a administração de Marcelo Crivella. A situação foi agravada após a publicação de um decreto pela atual administração municipal que determina o não pagamento dos contratos até que todos os documentos de prestação de serviços à Prefeitura sejam auditados, o que deve correr até o dia 10 de fevereiro. Caso os contratos sejam considerados corretos, as despesas serão pagas a partir dessa data.

A Prefeitura do Rio informou por meio de nota que está sendo feito um levantamento para quitar as dívidas deixadas por Marcelo Crivella. A Secretaria Municipal de Saúde, por exemplo, encontrou vários contratos de prestação de serviço com meses de pagamento atrasados e falta de recursos em caixa para honrar todas as dívidas deixadas. O governo municipal destacou que está fazendo um levantamento criterioso para identificar os valores devidos e as formas mais adequadas de quitá-los.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui